O teresinense está fazendo fila para encher o tanque do carro com gasolina a R$6,89 o litro. Após o anúncio da Petrobras para reajustar a gasolina em 18%, a expectativa do consumidor de Teresina, capital do Piauí, é que o preço final ultrapasse os R$8 reais nesta sexta-feira (11), quando o reajuste passa a valer. 

Nesta quinta-feira (10) o valor encontrado está entre R$6,89 a até R$ 7,30 centavos. Diante disso, muita gente fez fila em postos de combustíveis que ofereciam o valor antigo. Em um posto de um supermercado da zona leste de Teresina, a fila dobrou o quarteirão com consumidores que ansiavam por um preço mais barato. Vale lembrar que o preço do diesel é do gás de cozinha também vão aumentar.

Consumidores de Teresina lotam postos para abastecer antes do reajuste. Crédito: Lucrécio Arrais. Consumidores de Teresina lotam postos para abastecer antes do reajuste. Crédito: Lucrécio Arrais. 

O consumidor não está satisfeito. "É uma humilhação com o trabalhador. Vamos trabalhar para botar gasolina no carro. Se chegar até a R$10 até o final do ano como estão falando, muita gente vai passar fome. Sobe a gasolina, sobre o preço do arroz e do feijão", conta Maria do Carmo, que enfrentou fila para abastecer.

Em 2022 a inflação vem imbatível com os conflitos armados entre a Rússia e a Ucrânia. O governador Wellington Dias disse que o Brasil perdeu o controle da situação. "O salário continua baixo. Não vai dar mais para continuar rodando", afirma Rubens Lima, motorista de aplicativo que também encheu o tanque antes do reajuste.

Após a pandemia da Covid-19, o mundo experimentou uma grave crise que hoje se agrava em 2022 com a luta armada na Europa. Isso porque a Rússia, que foi isolada economicamente, é uma grande fornecedora de insumos, como o petróleo, trigo e ferro, por exemplo, daí a alta generalizada dos preços.