Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Incêndio mata quase 500 pessoas em supermercado no Paraguai

A população de Assunção, capital do Paraguai,amanheceu desolada no primeiro dia de Agosto de 2004, após um incêndio no supermercado Ycuá Bolanos, ocorrido no dia anterior, em que morreram 464 pessoas e ficarma mais de 400 feridos, muitos em estado grave. A comoção tomou conta da capital, diante dessa que foi a maior tragédia uruguaia.O acidente foi provocado, ao que a polícia apurou, em decorrência de uma explosão de gás.

Policiais de todas as esferas, com a ajuda de voluntários e equipes médicas, trabalharam durante todo o domingo, da manhã à noite, retirando os corpos e debelando os focos do incêndio. A cada hora o número de vítimas fatais aumentava. Doze horas depois de ter começado o sinistro, as equipes de socorro continuavam encontrado corpos.

Reuters 

O fogo foi originado na manhã de domingo no restaurante de um supermercado da rede Ikuá Bolaños. A causa a maior tragédia, além da original explosão de gás, foi a decisão da gerência do estabelecimento de fechar as portas de entrada para evitar saques.

O incêndio no supermercado, que não dispunha de saídas de emergência, provocou o pânico em centenas de pessoas, causando as mortes e ferimentos, algumas em estado crítico, que eram levadas a hospitais da capital paraguaia, onde muitas delas morreram. Médicos e enfermeiros da Argentina viajaram por terra para Assunção, a partir da Província limítrofe de Formosa (norte), para colaborar no resgate e na assistência das vítimas.

AP

Os corpos carbonizados eram depositados numa discoteca em frente ao supermercado. O centro comercial contava com uma praça de alimentação que, no momento da tragédia, tinha 500 pessoas, segundo estimativas de testemunhas.

O capitão dos bombeiros, Hugo Onieva, declarou que a tragédia poderia ter sido evitada se as saídas não tivessem sido bloqueadas.

A Procuradoria paraguaia ordenou a detenção do proprietário do hipermercado, Juan Pío Pavía, por suspeita de homicídio por negligência, além de outros delitos puníveis pela lei paraguaia.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se