Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Blecaute de 25 horas leva caos, violência e saques a Nova York

A cidade de Nova York foi tomada pelo caos na noite de 13 para 14 de julho de 1977, quando um blecaute causado pelas elevadas temperaturas e consequentes quedas de raios deixou mais de 70% da metrópole sem energia elétrica. A falta de energia durou cerca de 25 horas, tempo suficiente para que a criminalidade tomasse conta da área, provocando terror e prejuízos incalculáveis.

Em áreas de grande concentração econômica e financeira da cidade, a exemplo de Manhattan e a Broadway, regiões de grande concentração dos negócios financeiros e artísticos, incluindo a Estátua da Liberdade, símbolo mais tradicional de NY, passaram a ser atacadas pelo  submundo do crime. Parecia que os criminosos haviam esperado pela oportunidade para atacar.

Na escuridão absoluta daquela noite de 13 para 14 de julho, o bairro de Harlem foi praticamente devastado. Vitrines foram quebradas, todas as lojas foram depredadas e os ladrões levaram o que puderam. A polícia conseguiu deter "apenas" 1.500 pessoas, uma pequena porcentagem dos que se aproveitaram da falta de luz.

No dia seguinte, o prefeito decretou feriado, para dar aos moradores a oportunidade de repararem os danos. Além disso, como a energia só retornou aos poucos, era grande o perigo de colapso, caso os edifícios de escritórios ligassem seus aparelhos de ar condicionado de uma só vez. Em contrapartida ao grande blecaute de 1965, desta vez não se repetiu a onda de nascimento de bebês nove meses depois.

Apenas os bairros abastecidos pela energia vinda da vizinha Nova Jersey continuaram com luz. Inclusive a Estátua da Liberdade, símbolo de Nova York.

O blecaute, causado por raios que atingiram linhas de transmissão e uma subestação elétrica, paralisou diversos setores da metrópole. Metrôs ficaram parados, elevadores foram trancados, a Broadway ficou às escuras. Só hospitais e outros centros de emergência dispunham de geradores próprios.

Vinte minutos depois do início do blecaute, o prefeito decretou estado de emergência: em 1977, Nova York tinha o mais alto índice de criminalidade do mundo.

O dia 13 de julho de 1977 fora de muito calor em Nova York: 33 graus Celsius registravam os termômetros ao meio-dia, e quando a noite chegou a temperatura continuava alta. A tempestade que vinha do Atlântico trazia a promessa de uma noite mais fresca. Raios iluminavam os arranha-céus da cidade.

Às 21h34 as luzes começaram a piscar nos arranha-céus de Manhattan, até se apagarem de vez. A energia só voltaria 25 horas depois.

Apenas os bairros abastecidos pela energia vinda da vizinha Nova Jersey continuaram com luz. Inclusive a Estátua da Liberdade, símbolo de Nova York.

O blecaute, causado por raios que atingiram linhas de transmissão e uma subestação elétrica, paralisou diversos setores da metrópole. Metrôs ficaram parados, elevadores foram trancados, a Broadway ficou às escuras. Só hospitais e outros centros de emergência dispunham de geradores próprios.

Vinte minutos depois do início do blecaute, o prefeito decretou estado de emergência: em 1977, Nova York tinha o mais alto índice de criminalidade do mundo.



Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar