O histórico de violência política contra Presidentes dos Estados Unidos teve mais um momento crucial, em 30 de março de 1981, quiando o então Presidente Ronald Reagan, sofreu um atentado a tiros quando participava de um encontro com sindicalistas no hotel em Washington. Imediatamente após o atentado, os seguranças jogaram o presidente no chão para protegê-lo. Reagan, que estava há apenas dois meses no cargo, ficou ferido, mas sobreviveu.

Além do presidente, três assessores também foram baleados. Consciente e em estado regular, o presidente foi conduzido para Hospital George Washington. Na realidade, seu estado era crítico, mas ele sobreviveu, e também seus três colaboradores se recuperaram do atentado. Além de Reagan, ficaram feridos o então secretário de imprensa da Casa Branca, James Brady, o agente do serviço secreto Tim McCarthy e o policial Thomas Delahanty.

Presidente dos EUA sofre atentado a tiros durante evento em hotel - Foto: ReproduçãoPresidente dos EUA sofre atentado a tiros durante evento em hotel - Foto: Reprodução

Brady, que levou um tiro na cabeça, acabou ficando paraplégico. Até sua morte, em 2014, ele dedicou a vida a exigir um maior controle sobre armas no país. Embora tenha morrido anos depois, pode-se afirmar que Brady foi, sim, vítima do atentado que atingiu Ronald Reagan.

O autor do atentado, John Hinckley, foi preso logo após os disparos. O rapaz, de 25 anos, tinha problemas mentais. Ele era obcecado pela atriz Jodie Foster e a tiranizava através de cartas. Certa vez, chegou a repetir uma ameaça feita no filme Taxi driver, estrelado por ela e Robert de Niro: "Se você não me ama, vou matar o presidente".

Ronald Reagan, no entanto, só faleceria em 2004, aos 93 anos, vítima de complicações do mal de Alzheimer.

HISTÓRIA DE VIOLÊNCIA

A história política dos Estados Unidos registra vários episódios de violência, incluindo assassinatos de chefes de Estado em pleno exercício da função, sendo os mais notáveis Abraham Linconln e John F Kennedy.

Saiba aqui quem são os oito presidentes dos EUA que morreram durante o mandato:

Abraham Lincoln foi o primeiro presidente do Partido Republicano. Ele governou os EUA de março de 1861 a 14 de abril de 1865, quando levou um tiro na cabeça disparado por John Wilkes Booth, um segregacionista do sul do país.

Presidente dos EUA sofre atentado a tiros durante evento em hotel - Foto: ReproduçãoPresidente dos EUA sofre atentado a tiros durante evento em hotel - Foto: Reprodução

Lincoln teve um importante papel na luta contra os segregacionistas do sul conhecidos como os Estados Confederados de América na Guerra Civil (1861-1865).

James Garfield, após 16 anos da morte de Abraham Lincoln, foi assassinado, tendo governado o país por um curto período, apenas em 04 de Março a19 de Setembro de 1881.

William McKinley, foi o terceiro Presidente norte-americano a ser assassinado,em 05 de Setembro de 1901. Ele governou os Estados Unidos entre 1897 e 1901.

John Fitzgerald Kennedy foi assassinado em 22 de novembro de 1963. Ele assumira a Presidência em 20 de Janeiro de 1961. Governou por menos de três anos, sendo morto a tiros quando participava de um evento, desfilando em carro aberto nas ruas de Dallas, no Texas.

Além dos Presidentes assassinados, outros sofreram atentados, mas sobreviveram.

Foram eles: Andrew Jackson, em 1835; Theodore Roosevelt, em 1912; Franklin Delano Roosevelt, em 1945; e Harry Truman, em 1950. Além deles, Richard Nixon, em 1974, Gerald Ford (1975), Jimmy Carter (1979) e Ronald Reagan em 1981 - que chegou a ter o pulmão perfurado por uma bala em 30 de março daquele ano e sobreviveu graças a uma intervenção médica. O responsável pelos disparos, John Hinckley, afirmou que tentou matar Reagan para chamar a atenção da famosa atriz Judie Foster.