Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Moro cita no Twitter projeto de Ciro sobre banco de DNA para bandido

Moro cita no Twitter projeto de Ciro sobre banco de DNA para bandido
O blog Primeira Mão conversou com Ciro Nogueira sobre a decisão do ministro da Justiça de acolher a ideia do banco de DNA | (Foto: MeioNorte)

Por Sávia Barreto

Novo usuário assíduo do Twitter, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, postou neste sábado (20/04) mais detalhes do projeto de lei anticrime que tramita no Congresso Nacional. Ele destacou especificamente a ideia de criar um banco de DNA com o perfil dos criminosos, algo que vemos em séries norte-americanas como CSI mas que não passa de ficção no Brasil real. Com o projeto, deve se tornar algo concreto. Moro incorpora o conteúdo do projeto do senador piauiense Ciro Nogueira (Progressistas).

O blog Primeira Mão conversou hoje com Ciro sobre a decisão do ministro da Justiça de acolher a ideia do parlamentar piauiense. O senador anunciou, inclusive, a intenção de ampliar o projeto: "Fiquei muito feliz do ministro ter adotado essa ideia. Estamos tratando com nossa assessoria que o projeto seja ampliado. Eu defendo que qualquer tipo de crime cometido, a pessoa seja obrigada a colher o material genético. Isso ia facilitar e muito o trabalho de investigação policial e solução de crimes", argumentou Ciro Nogueira.

Na postagem, Moro disse o seguinte: "Projeto de lei anticrime. Medidas simples e eficazes contra o crime. Uma das minhas favoritas, a ampliação do Banco Nacional de Perfis Genéticos, o que aumentará a taxa de resolução de investigação de qualquer crime, mas principalmente de crimes que deixam vestígios corporais. Propomos a extração do perfil genético (DNA) de todo condenado por crime doloso no Brasil. Significa passar um cotonete na boca do preso e enviar o material ao laboratório. Isso passa a compor um banco de dados, como se fosse uma impressão digital". 

"Diante de um crime, a polícia busca vestígios corporais no local (fio de cabelo, por exemplo), identifica o DNA e cruza com o banco de dados. Tem um potencial muito grande para melhorar as investigações, evitar erros judiciários e inibir a reincidência. Temos já um banco de DNA no Brasil, mas muito modesto, com cerca de 20 a 30 mil perfis. Reino Unido tem seis milhões e Estados Unidos, doze milhões. Até o final do Governo, teremos nosso banco completo", completou o ministro.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×