Por Arimatéa Carvalho

A OAB-PI e o INSS assinaram em Brasília, na quinta-feira (15), um acordo histórico que vai beneficiar todos os brasileiros, não apenas os piauienses. Pelo acordo, não haverá mais a necessidade de procuração pública para analfabetos, facilitando o acesso do cidadão aos requerimentos de benefícios e também contemplando uma reclamação dos advogados. A assinatura é o desfecho de uma ação civil pública na Justiça Federal movida pela OAB-PI em maio deste ano em desfavor do INSS. O presidente da Ordem, Celso Barros Neto, a secretária-geral adjunta, Nara Letícia Couto, e o presidente da Comissão Especial de Direito Previdenciário, Chico Couto, mostram o documento. 

"GANHA O BRASIL"

Além dos representantes da OAB-PI, o acordo também foi assinado pelo em Brasília pelo presidente do INSS, Leonardo Rolim, e pelo procurador chefe da Advocacia Geral da União (AGU), Caio Coelho. “A OAB, antes de tudo, é a sociedade. Não representamos os anseios apenas da advocacia, mas de toda a população brasileira. Justiça social sendo realizada, de forma concreta. Ganha o INSS, ganha OAB, ganha o Brasil”, frisou Chico Couto.

OAB-PI acerta com INSS fim da procuração para analfabetos em todo o BrasilOAB-PI acerta com INSS fim da procuração para analfabetos em todo o Brasil