Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Blocos fervem Teresina na terça-feira de Carnaval

Temperaturas elevadas e ameaça de chuva não dispersaram os foliões

Blocos fervem Teresina na terça-feira de Carnaval
|
Compartilhe
Google Whatsapp

A terça-feira de Carnaval em Teresina começou com sol forte e ameaça de chuvas, mas nada que tenha tirado os foliões das ruas logo no final da tarde. Em blocos espalhados por toda a cidade, os blocos de carnaval ocuparam ruas de vários bairros da capital. Na zona Leste, um dos mais animados foi o Batatinha do Louah.


O Bloco Batatinha do Louah, que acontece há três anos no bairro de Fátima, promete dobrar o público nesta edição. A expectativa é que seis mil pessoas passem pela Rua Angélica, que tem a concentração dos foliões. 

Com entrada limitada de foliões, o Batatinha do Louah preza a segurança dos foliões. “Quem quiser fazer parte da festa tem que vir cedo, pois esperamos lotar a capacidade de pessoas em nossa espaço. Isso dobrando o público da última edição, podendo chegar a até 6 mil pessoas”, aponta Ênio Portela, um dos sócios do bloco.


A ideia partiu do aniversário de um dos organizadores da festa. “O apelido dele era batatinha, então ficou Batatinha do Louah. Resolvemos comemorar o aniversário dele fazendo uma festa aberta para o público”, completa Ênio.

A concentração do Batatinha do Louah começou às 17h. Muita gente chegou cedo, inclusive a universitária Têmis Oliveira, que trouxe uma palavra feminista ao carnaval. “Assédio acontece em todo lugar, inclusive no carnaval. As pessoas têm que entender que não é não”, disse a moça que levava a palavra de ordem escrita no busto. 


Bloco Rapazes Alegres estica segundo dia de carnaval

Crédito: José Alves Filho

O bloco Rapazes Alegres, um dos mais antigos do Carnaval de Teresina, que acontece há 35 anos na Rua Santa Luzia, no antigo Mercado do Cajueiro, hoje Palácio da Música, Centro-Sul da capital, animou bastante no final da tarde. Este ano, o bloco veio com dobradinha, funcionando na segunda e terça-feira de Carnaval.

Crédito: José Alves Filho

A produção não sabe quantificar o público, mas muita gente passou pela Rua Santa Luzia. “Segunda aqui tava lotado, na terça vai vir ainda mais gente porque tem pouco fuá no último dia de Carnaval. A galera desce toda para cá”, avalia Anderson Cleiton, o “cabeça”, um dos organizadores do bloco.

O bloco Rapazes Alegres foi fundado pelo médico Pedro Constantino, o “Pedoca”. “Este ano estamos homenageando ele pelos 35 anos do bloco. Ele merece”, acrescenta Anderson Cleiton.

As amigas Edilene Paz e Silvana Caetano não perdem um ‘Rapazes Alegres’, que é marcado pelo samba em primeiro plano. “Aqui é um bloco de samba! A música é ótima, o pessoal se diverte muito. É felicidade e animação”, conta Edilene. “Aqui é ótimo, o pessoal é unido. Todo ano a gente se encontra e fazemos uma festa bonita no meio da rua”, acrescenta Silvana. 

Crédito: José Alves Filho

Bloco de bar tradicional movimenta a Avenida Miguel Rosa

O bloco de um bar nas imediações da Avenida Miguel Rosa foi o mais animado na tarde da terça-feira de Carnaval. Para entrar no alambrado, era preciso pagar uma entrada simbólica, mas muitas pessoas fizeram a festa em plena avenida, que ficou tomada por foliões.

Para Fábio Lima, dono do bar que promove o evento, a expectativa é que 4 mil pessoas entrem no espaço do bloco, que contará com três atrações. “Estamos organizando cada vez melhor para receber as pessoas. Estamos tradicionalizando a terça-feira de Carnaval, para não chocar com nenhuma outra festa. Acreditamos em um Carnaval diverso e em todas as zonas”, aponta.

Crédito: José Alves Filho

Este já é o sexto ano do bloco. “Estamos com atrações novas, além do Roraima Lima, que veio agora com muitas novidades. É uma satisfação poder contribuir de forma positiva com o Carnaval de Teresina”, aponta.

A comerciante Clésia Alencar diz que vem ao bloco desde a fundação. “Aqui é só alegria e gente bonita, ninguém pode ficar de fora. Amo um frevo. Adoro um samba. Aqui tem isso tudo”, afirma. 


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Recomendamos

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×