Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Turismo no Carnaval terá impacto de R$ 6,78 bilhões em todo o país

Estimativas da CNC também apontam a contratação de mais de 23 mil trabalhadores temporários entre janeiro e fevereiro

Turismo no Carnaval terá impacto de R$ 6,78 bilhões em todo o país
Foliões se divertem em bloco de rua no Carnaval do Rio de Janeiro | Divulgação Prefeitura Municipal do Rio
Compartilhe

A combinação de inflação baixa e dólar cerca de 20% mais caro em relação ao início de 2018 deve favorecer gastos no turismo doméstico durante o Carnaval deste ano. A avaliação é da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que prevê um impacto total de R$ 6,78 bilhões nas principais atividades econômicas do ramo em todo o país entre o sábado (01/03) e a Quarta-feira de Cinzas (06/03). O resultado, já descontada a variação de preços, representa uma alta de 2% na comparação com o ano anterior, além de indicar a reversão de perdas em relação às três festas passadas.

Diante da maior demanda, a entidade estima a contratação de 23,6 mil trabalhadores temporários entre janeiro e fevereiro, número 23,4% superior ao do último Carnaval e o maior índice desde 2015 (21,2 mil). O segmento de alimentação, com aproximadamente 18,4 mil vagas ofertadas, deve ser responsável por cerca de 78% das oportunidades. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, aponta que os dados reforçam a importância do mercado de viagens à recuperação econômica do país. “Por trás da festa, que lota os principais destinos nacionais, há um enorme impacto no setor de serviços, o que fortalece a retomada do crescimento e a geração de emprego e renda”, observa.

O estudo da CNC indica que os estados do Rio de Janeiro (R$ 2,1 bilhões) e de São Paulo (R$ 1,9 bilhão) respondem por 62% da movimentação financeira durante a folia, seguidos de Minas Gerais (R$ 615,5 milhões), Bahia (R$ 561,9 milhões), Ceará (R$ 320 milhões) e Pernambuco (R$ 217,6 milhões). Juntas, as demais Unidades da Federação devem somar cerca de R$ 1 bilhão. Na opinião do economista-chefe da Confederação, Fabio Bentes, a atual conjuntura econômica proporciona o aumento do fluxo interno de visitantes. “Neste ano, a massa de rendimentos está mais favorável e mais pessoas estão ocupadas. Isso, em um ambiente de inflação baixa e crédito mais barato, beneficia gastos não essenciais”, explica.

O levantamento estima que os segmentos de alimentação fora do lar, como bares e restaurantes, devem gerar R$ 4,1 bilhões, seguidos de transporte rodoviário, com R$ 859,3 milhões, e de meios de hospedagem, que vão faturar R$ 774,3 milhões. Reunidas, estas atividades vão responder por mais de 84% da receita gerada. Conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), nos 12 meses encerrados em janeiro de 2019, os valores de 17 serviços mais demandados no Carnaval registram oscilação média de +4,3%, abaixo da média histórica do período. Itens como cerveja (-1,8%), carne de porco (-0,9%) e linguiça (-0,2%), por exemplo, estão mais baratos do que há um ano.




Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar