Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Brasil registra 513 mortes por Covid-19 em 24h e chega a 158.969

No boletim anterior, foram 510 mortes e 28.629 novos casos em 24 horas.

Compartilhe

O Ministério da Saúde divulgou um novo balanço sobre os casos de coronavírus no Brasil na noite desta quinta-feira (29). Foram 513 mortes em 24 horas e os óbitos subiram para 158.969.  O país tem 26.106 novos casos e o total saltou para 5.494.376.

Ainda segundo a pasta, 4.954.159 estão recuperados e 381.248 em acompanhamento. No boletim anterior,  foram 510  mortes e 28.629 novos casos em 24 horas.

Vacina contra Covid-19 no Brasil

O Brasil terá uma vacina aprovada e pronta para uso da população contra covid-19 entre janeiro e junho do próximo ano, afirmou o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, ao destacar que o órgão regulador —embora não tenha uma decisão formada sobre o percentual da eficácia do futuro imunizante— já admitiu vacinas anteriores com menos de 50%. 

"Acredito, pelo que temos observado, que o tempo para isso acontecer será em algum momento entre o primeiro mês e o sexto mês de 2021, ou seja, no primeiro semestre de 2021. Por enquanto é isso que acredito em face do que temos visto", disse Barra Torres em entrevista à Reuters.

"Obviamente isso pode mudar, eu espero que não, espero que fiquemos dentro desse período de tempo, mas é um estimativa que eu faço", acrescentou. "Algumas pessoas são menos otimistas, outras são até mais otimistas, acham que antes, eu acho que antes não é possível, eu ficaria com alguma coisa entre janeiro e junho de 2021." 

O diretor-presidente da Anvisa disse que há uma discussão mundial sobre o percentual da eficácia da vacina e que, por ora, não há um consenso. Disse que a agência não definiu essa questão, mas ressaltou que se está em uma situação "totalmente diferenciada" de pandemia, com uma capacidade muito elevada de causar não só mortes mas sequelas pós-cura.

Barra Torres afirmou que o órgão já aceitou vacinas para a Influenza com percentual abaixo de 50%.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar