A variante Ômicron, do coronavírus, tem um comportamento um pouco diferente no corpo humano, se comparado com versões anteriores do vírus. Recentemente, o aplicativo de estudo ZOE Covid listou dois dos sintomas mais incomuns associados à Ômicron, dos quais você provavelmente ainda não ouviu falar.

Uma análise inicial de casos positivos mostrou que algumas pessoas infectadas com a nova cepa apresentavam vômito e perda de apetite.

Cientistas descobrem novos sintomas da Ômicron (Foto: Reprodução)Cientistas descobrem novos sintomas da Ômicron (Foto: Reprodução)

De acordo com Tim Spector, professor de Epidemiologia Genética do King’s College London, à frente do ZOE Covid, esses são sintomas comuns em pessoas que receberam as duas doses da vacina contra a covid e que receberam doses de reforço.

“Muitos deles tiveram náuseas, temperatura leve, dor de garganta e dores de cabeça”, disse ele.

A equipe de Tim Spector esteve entre as primeiras a identificar a perda de olfato e paladar como sintomas da covid-19 no início da pandemia.

Sintomas mais comuns da Ômicron

Conforme a variante vai se espalhado e mais casos são avaliados, vão se descobrindo novas características da doença provocada por ela. Até o momento, os sintomas mais observados nas infecções por Ômicron são tosse, fadiga, congestão e coriza, de acordo com uma análise do CDC dos primeiros 43 casos investigados nos EUA.

Em alguns casos, o vômito também foi relatado como sintoma entre aqueles com a variante, segundo o relatório.

Estudos preliminares recentes afirmam que a Ômicron parece provocar um quadro mais leve, se comparada à variante Delta, principalmente porque ela não tende a atacar o pulmão. Pesquisas ainda não revisadas por pares trazem indícios de que a cepa se limita ao nariz, garganta e traqueia.

Por essa característica específica, a variante também tem provocado inicialmente um sintoma que acaba sendo ignorado por muitas pessoas.