Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Reino Unido identifica nova variação do coronavírus

"Identificamos uma nova variante do coronavírus, que pode estar associada à disseminação mais rápida no sudeste da Inglaterra", disse Hancock em um comunicado ao parlamento.

Compartilhe

O ministro da Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, disse nesta segunda-feira (14) que mais de mil casos de Covid-19 associados a uma nova variante do Sars-Cov-2 foram identificados nos últimos dias na Inglaterra.

Representantes da Organização Mundial da Saúde (OMS) disseram que, por enquanto, nada sugere que ela faça com que o vírus seja mais "complicado" ou seja capaz de ampliar sua capacidade de propagação.

Ainda não há informações sobre se a nova variante é a mesma anunciada por cientistas no fim de outubro. À época, a mutação batizada de 20A.EU1 foi associada a casos na Espanha e em vários países europeus.

O Ministro da Saúde do Reino Unido, Matt Hancock Foto: BBC News Brasil 

Sem dar detalhes se ela se tratava da 20A.EU1, Hancock falou sobre a nova variante em um comunicado ao parlamento. "Identificamos uma nova variante do coronavírus, que pode estar associada à disseminação mais rápida no sudeste da Inglaterra", disse.

"Uma análise inicial sugere que esta variante está crescendo mais rápido do que as variantes existentes", afirmou o ministro.

"Devo enfatizar que atualmente não há nada que indique que a variante seja mais provável de causar doenças graves, e o conselho clínico mais recente é que é altamente improvável que uma vacina falha em proteger contra essa mutação", afirmou Hancock.

OMS diz que mutação é monitorada

Os representantes da OMS disse que a nova variante é monitorada para saber se ela faz que o vírus "seja mais complicado" ou possa se propagar mais. Por enquanto, não há nada que indique isso, de acordo com Mike Ryan, diretor de emergências da OMS.

"Temos ciência dessa variante de Covid-19 na Inglaterra. Esses tipos de mutações são comuns". – Mike Ryan, diretor de emergências da OMS

"Essa variação já está sendo monitorada. Pesquisadores já estão fazendo o sequenciamento genético e não há nenhuma evidência de que esta variante se comporte diferente" - Maria van Kerkhove, líder técnica da OMS

Histórico de mutações

As novas variantes ou mutações são uma mudança que pode ocorrer em qualquer código genético, inclusive no do novo coronavírus. O novo coronavírus muda de forma lenta: o genoma do Sars-CoV-2 costuma sofrer duas mudanças de uma letra cada por mês. (O código genético é "escrito" com quatro letras, que mudam dependendo do tipo de código – DNA ou RNA).

Essa taxa é cerca de metade da dos vírus da família Influenza e um quarto da do vírus HIV.

Não necessariamente as mudanças tornarão o vírus mais perigoso. Como ocorrem ao acaso, as mutações não necessariamente trabalham “a favor” do vírus. E, no caso do Sars-CoV-2, não há nenhum indício, até agora, de que as mutações pelas quais ele passou o tenham tornado mais perigoso no sentido de causar uma doença pior.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar