São várias as sequelas provocadas pela Covid-19. Estudos recentes apontam que a doença provoca inflamações que podem atingir o coração, rins, cérebro e até mesmo os testículos. Nesse último, as alterações podem ser silenciosas, mas prejudicam a função hormonal e a fertilidade dos homens. 

O estudo sobre o impacto da doença nos testículos considerou a  autópsia dos tecidos testiculares de 11 pacientes, com idades entre 32 e 88 anos, que morreram devido a complicações da Covid-19. 

Covid-19: danos aos testículos podem ser silenciososCovid-19: danos aos testículos podem ser silenciosos

As análises, coordenadas pelos professores Paulo Saldiva e  Marisa Dolhnikoff, da Faculdade de Medicina da USP,   mostraram uma série de lesões, que reduzem a produção de espermatozoides e hormônios. 

“Vimos por microscopia eletrônica que o coronavírus invadiu todas as células do testículo. O vírus está presente nas células que produzem espermatozoides, chamadas Sertoli, nas células que produzem testosterona, chamadas de Leydig, nos vasos sanguíneos e no arcabouço que dá suporte ao testículo”, explica o pesquisador e médico andrologista Jorge Hallak, professor da Faculdade de Medicina e coordenador do Grupo de Estudos em Saúde do Homem do Instituto de Estudos Avançados da USP.

Ainda conforme o estudo, os danos nos testículos estão possivelmente associados às alterações inflamatórias desencadeadas pela infecção. A queda na atividade pode estar relacionada a lesões e formação de trombose, que reduzem a oxigenação dos tecidos de estruturas onde os espermatozoides são produzidos.

REDUÇÃO DE TESTOSTERONA 

O médico Jorge Hallak afirma que tem sido observado um aumento na procura por consultas médicas de homens que relatam problemas associados à redução na testosterona, como cansaço, irritabilidade e falta de memória. “O que nós observamos é que muitos pacientes apresentam índices muito baixos de testosterona após a infecção, mesmo em pessoas jovens. A mobilidade de espermatozoides também é muito baixa”, comenta.

SEM SINTOMAS 

No entanto, o especialista explica que a inflamação dos testículos pode não apresentar sintomas. Por isso, o médico sugere que a atenção aos testículos deve entrar na rotina de cuidados em relação à Covid-19, especialmente de pacientes que desejam ter filhos.

“Fizemos exame físico testicular nos pacientes e nenhum deles tinha dor. Todos foram assintomáticos, os que tinham a inflamação e os que não tinham. Não se pode esperar a dor para procurar um médico”, ressalta.

TRATAMENTO 

O tratamento da inflamação e da redução das taxas de testosterona varia de acordo com as condições clínicas de cada paciente.

“A reposição de testosterona em um paciente já afetado vai inibir ainda mais a função testicular. Os testículos têm mecanismos de reparação para voltar a produzir hormônios e existem tratamentos medicamentosos que aumentam a produção natural dos hormônios esteroidais, restabelecendo progressivamente a função testicular intrínseca do indivíduo. Isso também vai depender se houve lesão às células de Leydig e em qual grau, que é algo que não sabemos ainda”, explica Jorge Hallak.