Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Adolescente busca explicação médica após 'chorar sangue'

Apesar da situação incomum, a jovem diz que não sente dores.

Compartilhe

Sem sentir dor ou estar passando por uma situação de grande estresse, uma adolescente de 15 anos, de Adolfo, cidade com pouco mais de 3,5 mil habitantes no interior de São Paulo, começou a chorar "lágrimas de sangue". O fato vem se repetindo todos os dias há quase uma semana. Doris T. M. P. já passou por atendimentos médicos, mas ainda não há respostas para o caso. As informações são do UOL.

De acordo com a mãe da jovem, Juliana Teixeira de Miranda, 36, a filha passou mal no domingo (10), com dores abdominais. Como a adolescente tem pedra nos rins, ela foi levada à Unidade Básica de Saúde (UBS) da cidade, onde passou por atendimento e, segundo a família, foi medicada com remédio para dores. A garota teve alta médica e retornou para casa.

No sábado (12), Doris sentiu-se mal novamente. Desta vez teve sangramento no nariz. A jovem e a mãe retornaram à UBS, onde a garota foi medicada e liberada. No domingo (13), o susto: a adolescente conta que, ao acordar, percebeu que os olhos estavam cheios de lágrimas de sangue. "Quando vi meu olho cheio de sangue eu chamei minha mãe. Fomos para UBS. Chegando lá, o médico observou, me deu soro e disse que nunca tinha visto algo parecido. Depois da medicação, ele me liberou para ir para casa e pediu para eu retornar caso acontecesse novamente", lembra.

No dia seguinte, a situação se repetiu. Ao procurar atendimento médico na UBS, os médicos encaminharam a adolescente para a Santa Casa de José Bonifácio e, posteriormente, para o Hospital de Base, em São José do Rio Preto. "Ela passou por tomografia e diversos exames na face, mas os médicos não encontraram nada que pudesse justificar as lágrimas de sangue. Como faltam respostas, os médicos pediram para que ela fizesse mais alguns exames nesta semana para tentar encontrar a causa dessas lágrimas", explica Juliana. 

Segundo a adolescente, desde de domingo (13) todos os dias seus olhos ficam cheios de lágrimas avermelhadas. A situação também pode acontecer a qualquer hora do dia, surpreendendo Doris. Apesar da situação incomum, a jovem diz que não sente dores. A falta de um diagnóstico, no entanto, vem preocupando a família. "A gente assusta, né? Não sabe o que é exatamente. Esperamos que seja apenas algo emocional", acrescenta a mãe. 

Adolescente pede ajuda médica após chorar sangue

Hospital pede novos exames para Doris 

Em nota, o Hospital de Base, onde a adolescente foi atendida, explicou que novos exames foram solicitados para esclarecer as causas das lágrimas de sangue. " O Hospital de Base informa que a paciente passou por atendimento na Emergência do HB e, após o procedimento, ela foi liberada", diz o comunicado.

"A equipe médica solicitou uma nova bateria de exames por imagem e aguarda o resultado destas avaliações para agendar uma nova consulta no Ambulatório de Especialidades", finaliza a nota. 

O que dizem os especialistas? De acordo com os médicos, há vários fatores que podem influenciar na coloração das lágrimas, deixando-as com cor semelhante ao sangue. Entre esses fatores estão inflamações ou infecções oculares, traumas faciais, pressão alta, problemas de coagulação, diminuição no número de plaquetas e até mesmo alterações hormonais.

"A presença de sangue na lágrima chama-se hemolacria, condição já descrita na literatura médica. O tratamento depende da causa, mas algumas vezes desaparece repentinamente assim como surgiu, sem tratamento e sem um diagnóstico conclusivo", explica o oftalmologista Rafael Antonio Barbosa Delsin.

"Na grande maioria das vezes é algum problema no organismo do paciente. Apesar de causar um certo espanto, não são casos complicados de se tratarem. Dependendo da causa pode ser tratado com antibióticos e remédios hormonais. Raramente essa situação acarreta outros problemas à saúde do paciente", acrescenta o clínico geral Leandro Fonseca. 


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar