Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Aranha devora cobra de 40 cm e surpreende cientistas no RS

Flagra ocorreu na região da Serra do Caverá

Aranha devora cobra de 40 cm e surpreende cientistas no RS
aranha | divulgação
Compartilhe

Uma equipe de cientistas da Universidade de Santa Maria, no Sul do Brasil, que estuda aracnídeos na região da Serra do Caverá, fez uma descoberta incrível e praticamente inédita na última semana: encontrou uma serpente de cerca de 40 cm morta e parcialmente devorada por uma tarântula. As informações são do site “Live Science”.


tarântula da espécie Grammostola quirogai atacou a serpente de 39 centímetros, conhecida popularmente como jararaquinha do campo (Erythrolamprus almadensis). Segundo os pesquisadores brasileiros, ela foi encontrada comendo o réptil, que já tinha parte do corpo decomposto, algo inédito na ciência.

De acordo com o site Live Science, a descoberta impressionou os cientistas já que esta foi a primeira vez que uma tarântula foi vista se alimentando de uma cobra em ambiente natural. “A predação de uma cobra tão grande em relação ao tamanho da aranha foi extremamente surpreendente para nós", afirmou o estudante de graduação em biologia na Universidade Federal de Santa Maria, Leandro Malta Borges. 

Borges e os colegas fizeram o achado científico no último dia 3 de dezembro. Assim, puderam publicar um estudo no periódico “Herpetology Notes”, em que afirmara existir relatos na literatura de tarântulas se alimentando de cobras, mas apenas em experimentos controlados em laboratório.

Para o cientista, é provável que a cobra “azarada” tenha entrado na toca da aranha em busca de abrigo, sendo atacada e morta. Essa espécie de aracnídeo possui veneno, mas não existem estudos para avaliar se ele é potente o suficiente para matar uma cobra. Tipicamente, as tarântulas se alimentam de outras aranhar e insetos e pequenos répteis, anfíbios, pássaros e mamíferos.

Estas espécies foram descritas no ano passado, sendo que a existência delas havia sido encontrada somente no Uruguai anteriormente. A equipe de cientistas brasileiras que acabou se tornando notícia nas principais publicações de ciência internacionais está situada na região da Serra do Caverá, que é bastante pedregosa e de plantações baixas.  A tarântula de Grammostola é um aracnídeo de tamanho médio, e um dos parentes próximos da chamada tarântula cor-de-rosa chilena (Grammostola rosea) – um animal de estimação popular de aquário.



Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar