Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Caso raro de problema dentário é descoberto em esqueleto neandertal

Nova análise do Homem de Altamura, encontrado em 1993 no sul da Itália, sugere que o neandertal que caiu em abismo há 130 mil anos sofria com problemas bucais

Compartilhe

Em 1993, o Homem de Altamura ficou famoso no mundo arqueológico quando foi descoberto nas profundezas da gruta cárstica de Lamalunga, no sul da Itália. Desde então, estudos acerca do esqueleto de 130 mil anos, que continua preso onde foi encontrado, revelaram que o espécime era um neandertal que morreu de fome após cair em um poço natural.

No estudo mais recente do corpo, publicado na revista PLOS One na última quarta-feira (2), uma equipe de pesquisadores das universidades de Florença, Sapienza de Roma e de Pisa analisaram o maxilar e a mandíbula do Homem de Altamura. Segundo eles, o neandertal tinha uma dentição quase completa, com 42 dentes no total, mas tinha cálculos dentários e as raízes de alguns dentes expostas, sugerindo que ele sofria de doença gengival.

Análise sugere que Homem de Altamura sofria  com problema gengivais (Foto: Riga ET AL./PLOS one)

De acordo com os pesquisadores, a presença do terceiro molar (dente do siso) e o grau de desgaste da mastigação indicam que ele já tinha idade bastante avançada quando morreu, embora não fosse idoso. Além disso, os cientistas especulam que o espécime tinha algum problema de saúde pré-existente.

Foto: Riga ET

"Foi observada a perda de dois dentes antes da morte: um perdido vários anos antes de morrer e o outro tempos depois", afirmou Giorgio Manzi, um dos estudiosos, em declaração. "É uma das raras ocasiões em que essas circunstâncias são observadas em um neandertal, visto que nos tempos pré-históricos antigos a incidência de problemas dentários era muito baixa."

Para o novo estudo, os cientistas utilizaram equipamentos de imagem digitais, como fotografias e raios-X de alta resolução, que foram combinados a filmagens de videoscópios. "Identificamos uma lesão no osso, na base de um incisivo, que pode ser devido a um forte estresse não atribuível à nutrição", comentou o coautor Damiano Marchi.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar