Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Conheça a síndrome do bumbum dolorido

Problema atinge várias pessoas

Compartilhe

Sobrecarregar os glúteos com exercícios localizados ou corrida pode levar à síndrome do piriforme, ou síndrome do bumbum dolorido. Recente pesquisa de uma rede de tratamentos corporais, realizada com 3.500 mulheres em todas as regiões do Brasil, sobre as preocupações estéticas da brasileira, mostrou que a maioria não está segura com o próprio corpo. A dor, pode, inclusive, afetar o nervo ciático e provocar dores nas costas.

Uma das áreas que mais incomoda é a região glútea (26%) – segundo a pesquisa, elas também querem melhorar o aspecto da barriga (69%) e dos seios (46%). Não é de se espantar, portanto, o empenho nas academias em busca do corpo sarado – especialmente para denição de abdômen e rmeza do bumbum. Só que pessoas que exercitam excessivamente os glúteos – com musculação, exercícios localizados, corrida ou bike – podem desenvolver a “síndrome do bumbum sarado” ou, como é cienticamente conhecida, a síndrome do piriforme. Estudos apontam predominância maior de casos femininos, na proporção de seis mulheres para cada homem.

Crédito: divulgação.

Para entender a patologia é preciso conhecer a anatomia do piriforme, um músculo em forma de pera que faz parte de um conjunto de músculos localizados profundamente na região glútea. “A função dele é fazer a rotação externa da coxa, além de auxiliar a abdução (abertura da coxa). Sua extensão vai da bacia até a cabeça do fêmur”, explica o neurologista LuizAlcides Manreza, do Hospital São Luiz. Por baixo desse músculo passa o nervo ciático. “A irritação ou a inamação desse nervo provoca a dor na região do quadril.As causas podem ser traumas locais (cair sentado), hábitos posturais não saudáveis e sobrecarga de exercícios na região”, diz Gilbert Bang, especialista em reabilitação ortopédica e esportiva do Hospital Israelita Albert Einstein. 

A patologia tem difícil diagnóstico – talvez por isso não seja considerada tão comum.“Realizamos o exame físico, investigamos e chegamos a um diagnóstico por exclusão de outros quadros”, revela Luiz Manreza. Em relação a exames, a ressonância magnética pode auxiliar a detectar o problema. Na fase aguda, para aliviar os sintomas da “síndrome do bumbum sarado”, os especialistas costumam prescrever relaxante muscular, analgésico e antiinamatório.

Repouso ou diminuição da carga de exercícios também é necessário.Acupuntura e sioterapia podem complementar o tratamento. “Depois, é essencial que se faça um trabalho de reequilíbrio muscular e alongamento. Em casos crônicos, podemos usar até a toxina botulínica para bloquear o músculo e impedir a compressão do ciático”, explica Gilbert Bang.

Dicas 

- Nos exercícios com quatro apoios, procure contrair o abdômen para não forçar a coluna ao elevar a perna;

- Não exagere na carga de exercícios para os glúteos;

- Passar o dia sentada e malhar muito depois aumenta as chances de se desenvolver a síndrome. Levantese e alongue com frequência; 

- Atenção em caso de queda sentada, especialmente se deixar um hematoma na região glútea; 

- Caso a dor persista por mais de três semanas, procure um especialista em quadril.


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar