Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Conheça o peixe cabeça-de-cobra, que é capaz de viver fora d’água

Ele recebe esse nome inusitado por conta da sua cabeça achatada

Compartilhe
Google Whatsapp

Imagine que você esteja caminhando por aí e encontre um peixe atravessando a rua. Colocando dessa forma, parece um acontecimento improvável; mas é completamente possível, graças à existência do peixe cabeça-de-cobra (Channa argus). Ele recebe esse nome inusitado por conta da sua cabeça achatada — que não é nem de longe a sua característica mais marcante. A notícia é do Mega Curioso.

Essa criatura é originária da China, da Coréia e da Rússia, podendo medir mais do que 80 centímetros de comprimento. No início dos anos 2000, exemplares da espécie foram encontrados nos Estados Unidos e surpreenderam a população com seu apetite voraz e, pasme, com sua capacidade de sobreviver fora da água por dias. 

Visualhunt/Reprodução 

A espécie é um exemplo de resistência: em prol de sua sobrevivência, os peixes conseguem percorrer pequenas distâncias, deslizando pelas ruas e dando pequenos saltos. Por exemplo, um cabeça-de-cobra pode deslocar-se até encontrar outro local ou um curso de água com mais alimentos — como outros peixes, rãs e até pequenos lagartos. 

Foi o que instruiu o Departamento de Recursos Naturais da Geórgia à população. Esse estado norte-americano, assim como outros 15, entrou em alerta por conta da presença desse predador no meio selvagem. Assim que o primeiro peixe apareceu na Geórgia, o aviso foi repassado à população: "Se você acredita que capturou um peixe cabeça-de-cobra, não o libere. Mate-o imediatamente e congele-o".

Após as instruções, o Departamento ainda recomenda que fotos sejam tiradas dos peixes, "inclusive imagens de detalhe da boca, barbatana e cauda", para checar se ele é da espécie. Em hipótese alguma, as pessoas devem soltá-los na água — ou na terra, nesse caso. As autoridades pretendem, com isso, recolher exemplares e estudá-los para mapear a sua disseminação no país e tentar controlar suas altas taxas reprodutivas. 

Por que tanto alarde?

Um peixe que vive fora da água por dias e se locomove até mesmo em terra, acaba se tornando motivo suficiente para gerar um frenesi nacional. No entanto, não foi somente por isso que quinze estados norte-americanos emitiram alertas para população.

Essa espécie possui um apetite enorme, se reproduzem com facilidade e rapidez, além de serem mestres da sobrevivência. As três características somadas fazem com que esse peixe tenha a capacidade de afetar gravemente a oferta de alimentos a outros animais, visto que ele come desde plâncton a outros peixes. Para que a fauna desses estados não sofre um desequilíbrio, é preciso capturar alguns peixes para que pesquisadores possam conhecer seu comportamento e desenvolver formas de lidar com ele.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se