Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Estudo afirma que comer insetos pode ajudar a evitar o câncer

A alimentação sempre foi apontada como uma das formas de prevenir câncer

Compartilhe
Google Whatsapp

A alimentação sempre foi apontada como uma das formas de prevenir câncer. Agora, contudo, cientistas descobriram uma forma um tanto diferente de evitar a doença: comer insetos.

Ok, nós sabemos que não se trata de um ingrediente clássico, que costumamos ver em saladas ou                   smoothies , mas acredite, isso pode realmente ser benéfico para a saúde.

De acordo com uma pesquisa publicada na revista Frontiers in Nutrition, estudiosos da University of Rome (Itália) concluíram que alguns tipos de insetos , como formigas, larvas e gafanhotos, têm mais antioxidantes do que o suco de laranja. Sendo assim, reduzem o desenvolvimento de radicais livres potencialmente perigosos no corpo, protegendo contra danos no DNA.

Como insetos podem prevenir câncer? 

Os cientistas estudaram vários insetos mortos, incluindo formigas, gafanhotos e grilos. Eles, então, testaram o pó para descobrir quantos antioxidantes – compostos como as vitaminas A, C e E e beta-caroteno – estavam neles. Apenas as partes solúveis dos insetos foram usadas – suas asas e ferrões foram retirados primeiro. 

Os testes revelaram as larvas, lagartas africanas e cigarras gigantes tinham o dobro de antioxidantes que o azeite de oliva. Já o grilo e gafanhoto tinham cinco vezes mais antioxidantes que o suco de laranja.

 “Os insetos comestíveis são uma excelente fonte de proteína, ácidos graxos poliinsaturados, minerais, vitaminas e fibras”, disse o cientista Mauro Serafini, de acordo com o Daily Mail. “No futuro, poderemos também adaptar os regimes alimentares para a criação de insetos, a fim de aumentar seu conteúdo antioxidante para consumo animal ou humano.” 

De acordo com Serafini, quase um quarto das pessoas no mundo já comem insetos . “O resto de nós precisará de um pouco mais de incentivo”, brincou.



Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se