Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Estudo revela que cigarros eletrônicos também causam câncer

O grande problema desse produto parece estar em seu conceito

Estudo revela que cigarros eletrônicos também causam câncer
1 | Reprodução
Compartilhe

O cigarro eletrônico, cada vez mais popular, traz grandes riscos à saúde. O grande problema desse produto parece estar em seu conceito que não condiz com a realidade: fumar cigarros eletrônicos não é uma atitude mais segura nem é uma opção saudável do tabagismo, como muitos costumam pensar – e é aí que mora o perigo.

Por não terem o cheiro tão forte quanto o cigarro normal, os cigarros eletrônicos acabam sendo escolhidos por quem quer dar umas baforadas, mas não quer ficar com a típica catinga do cigarro comum. Pelo fato de que a fumaça é diferente e também pelo uso de essências, acabamos entendendo que esse produto é inofensivo.

A verdade é que um estudo recente sobre o tema revelou que o cigarro eletrônico também causa mutações no DNA e, por consequência, favorece o desenvolvimento de alguns tipos de câncer.

Para chegarem a essa conclusão, cientistas trabalharam com células humanas da bexiga e também do pulmão. Esse material ficou em contato com o vapor dos cigarros eletrônicos e, com o passar do tempo, as células sofreram mutações e se tornaram cancerosas. Ratos de laboratório também foram expostos ao vapor do produto, e o DNA dos animais também foi danificado.

 class=


Fica o alerta

A pesquisa teve seus resultados liberados pouco tempo depois de a proposta da Phillip Morris, que falou sobre vender cigarros eletrônicos como sendo uma opção saudável de tabagismo, ser rejeitada por órgãos de saúde do Reino Unido.

É preciso deixar claro que, assim como o cigarro comum, a versão eletrônica também contém nicotina – o problema, nesse caso, é que a pessoa acaba respirando solventes orgânicos de nicotina. Ainda que isso tenha servido de argumento para a ideia de que a versão eletrônica do cigarro é inofensiva, a verdade é que não há como dizer que as pessoas que fumam o cigarro eletrônico estão livres do câncer e de outras doenças provocadas pelo tabagismo.

Esses testes realizados com as células humanas da bexiga e do pulmão revelaram que quem fuma cigarro eletrônico tem mais riscos, em relação a não fumantes, de desenvolver câncer de bexiga, de pulmão e doenças cardíacas.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar