Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Fóssil do 'Mostro do Lago Ness' é encontrado na Antártida

Segundo o que foi relato à National Geographic, ele seria muito parecido com um peixe-boi com um pescoço imenso, como uma girafa, e uma cabeça com formato similar a de uma cobra.

Compartilhe
Google Whatsapp

 A lenda do monstro do Lago Ness surgiu depois que muitas pessoas afirmaram ter avistado uma estranha criatura no lago, que fica localizado na Escócia. Existem até mesmo algumas fotografias que, supostamente, seriam a prova de sua existência, apesar de toda controvérsia. As informações são do Fatos Desconhecidos. 

Desde o século VI, a sua real existência é motivo de muita polêmica. Justamente nessa época é que começaram a surgir os rumores e os supostos avistamentos. Principalmente, após a famigerada "foto do cirurgião", de 1934. Entretanto, nunca foi encontrado uma evidência científica de que a criatura realmente existiu no lugar. Recentemente, arqueólogos reuniram os restos mortais de uma enorme criatura marinha que está sendo rotulado como o monstro do Lago Ness da vida real.

De acordo com os pesquisadores, os restos fossilizados encontrados datam de 70 milhões de anos atrás, e são de um elasmossauro. Animal habitava as profundezas geladas da Antártida e é diferente de tudo o que já vimos antes. Ele teria pesado cerca de 15 toneladas e agora se tornou uma dos fósseis de répteis mais antigos e mais completos que já foram encontrados.

O animal marinho gigantesco teria sido um membro amedrontador da família dos répteis, elasmossaurídeos, e é maior desse tipo já descoberto. Esse animal compõe a família dos plesiossauros. Eles foram algumas das maiores criaturas do mar no período Cretáceo.

Divulgação

Mas você pode estar se perguntando de onde viria a associação do monstro do Lago Ness e a descoberta desse fóssil. Acontece que muitas pessoas acreditam que Nessie seria um plesiossauro de pescoço longo - como um elasmossauro - que teria sobrevivido quando todos os outros dinossauros foram exterminados.

Segundo o que foi relato à National Geographic, ele seria muito parecido com um peixe-boi com um pescoço imenso, como uma girafa, e uma cabeça com formato similar a de uma cobra. Existem muitas teorias que tentam explicar a grandiosa extensão de seu pescoço. No entanto, a maioria delas acredita que tenha sido para auxiliar na caça.

"Durante anos foi um mistério... não sabíamos se eram elasmossauros ou não", revelou o paleontólogo José O'Gorman, do Conselho Nacional de Pesquisa Científica e Técnica da Argentina. "Eles eram uma espécie de plesiossauros estranhos que ninguém conhecia".

Divulgação

No entanto, existem algumas peças que simplesmente não encaixam nesse quebra-cabeça. A maioria dos pesquisadores aponta que o Lago Ness tenha apenas 10 mil anos de idade. Os plesiossauros foram extintos há mais de 65 milhões de anos. Além de que, os répteis marinhos não possuíam brânquias.

Desse modo, mesmo que o monstro do Lago Ness fosse um plesiossauro, ele precisaria emergir diversas vezes para poder respirar fora d'água, o que facilitaria a sua identificação. Ainda segundo especialistas, não haveria comida suficiente no Lago Ness para alimentar um monstro marinho de quinze toneladas.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Recomendamos

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×