Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Fotógrafo fica de cara com uma das serpentes mais temida das Américas

No Piauí, o repórter fotográfico André Pessoa se deparou com uma imensa cobra cascavel

Fotógrafo fica de cara com uma das serpentes mais temida das Américas
Fotojornalista André Pessoa cara a cara com cobra cascavel | div
Compartilhe

Um encontro inesperado. Visitando locações na zona rural do município de Lagoa do Barro (550 km de Teresina), como parte da pré produção do filme documentário RUPESTRE, com lançamento previsto para o próximo mês de dezembro, o fotojornalista André Pessoa se deparou com uma imensa cobra cascavel (Crotalus durissus), e fez belos registros do animal.

Fotojornalista André Pessoa cara a cara com cobra cascavel Com larga experiência na documentação das serpentes brasileiras, Pessoa se notabilizou pelos registros da vida selvagem. Suas imagens correm o mundo levando as paisagens, o patrimônio cultural, o homem, a fauna e flora do Piauí pelos diferentes continentes.

O documentário RUPESTRE é uma realização inédita no cenário cinematográfico brasileiro. O filme está sendo totalmente captado com smartphones computadorizados com câmaras e lentes Leica, famosa empresa óptica alemã, com sede em Wetzlar.

A companhia produz máquinas e lentes fotográficas que são referência de qualidade óptica, equipamentos de pesquisa geológica e microscópios usados na ciência, em especial na medicina. O cristal utilizado em suas lentes são referência no mercado mundial.

Lagoa do Barro foi escolhida como um dos cenários do filme por abrigar pinturas e gravuras rupestres de grande beleza e qualidade de conservação, quase todas ainda desconhecidas pelo grande público. RUPESTRE tem como fio narrativo três sertanejos que não se conhecem e analisam, cada um dentro do seu universo cultural, pinturas e gravuras rupestres num trecho conhecido como “A Última Fronteira Selvagem do Nordeste”.

Além da consultoria de duas arqueólogas, uma espanhola e uma brasileira (Irma Asón Vidal e Gisele Daltrini Felice), além de um botânico pernambucano (José Alves de Siqueira Filho), todos especialistas máximos em suas áreas, o filme é realizado por três irmãos artistas, André, Augusto e Arthur. Com o sobrenome Pessoa e muita sensibilidade eles pretendem lançar um produto audiovisual inédito no cenário nacional.

A próxima locação deverá ocorrer no final de agosto na zona rural do município de Lagoa do Barro que vive um momento único em sua história: a construção do maior complexo de parques eólicos do Brasil.

A cascavel mostrada nessa reportagem tinha acabado de se alimentar, por isso, estava calma e permitiu as imagens. Em todo caso, André Pessoa fez questão de destacar que estava acompanhado por especialistas e que não se deve manipular animais silvestres, em especial as serpentes.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar