Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Hepatites virais: 10 informações que você provavelmente desconhece

Educar a população é a maneira mais fácil de combater a doença, que pode ser transmitida sexualmente

Compartilhe
Google Whatsapp

 Você sabe o que é a hepatite? Conhece as sérias consequências, incluindo a morte, que essa doença pode ter? Abaixo, Sheila Homsani, diretora médica da Sanofi Pasteur, lista 10 informações relevantes sobre essa doença que pode ser prevenida por meio de vacinação.

1 -  A hepatite é uma inflamação do fígado que pode ser causada pelo consumo exagerado de álcool, uso frequente de alguns medicamentos ou drogas. Mas também pode ser transmitida por meio de vírus, com cinco variações: os tipos A, B, C, D e E.  No Brasil, mais de 70% dos óbitos por hepatites virais são decorrentes da hepatite C, enquanto a hepatite B é responsável por 21,8% e a A por 1,7%. De acordo com os dados mais recentes do Ministério da Saúde, o país registrou 40.198 casos novos de hepatites virais em 2017.  

2 - Uma das principais causas de transplante de fígado no Brasil são as hepatites A e B devido à gravidade de sua evolução.

3 – O vírus da hepatite A é transmitido sexualmente de uma pessoa para outra ou por meio da ingestão de água ou alimentos contaminados. Esse tipo da doença pode ser assintomático, ou seja, a pessoa é infectada, mas a hepatite não se manifesta, o que leva ao tratamento tardio. Já quando há sintomas, a pele fica amarelada e a urina mais escura.

4 – A hepatite A não tem cura e pode se desenvolver de forma grave, levando ao óbito. Há medicamentos que tratam os sintomas, mas nenhum tem o poder de barrar a proliferação do vírus no organismo. Por meio dos tratamentos adequados, existe a possibilidade de o paciente conviver com a doença por toda vida. Mas a maneira mais eficaz de preveni-la é por meio da vacina.

5 – A hepatite B também pode ser assintomática. Quando se torna crônica é capaz de levar à cirrose e ao câncer de fígado. Os homens são os mais atingidos pelo tipo B e a transmissão sexual é a mais comum. Por isso que o uso de preservativos é essencial para evitar o contágio. Agulhas, lâminas de barbear ou alicates contaminados também podem disseminar a doença.

6 –A hepatite B pode ser transmitida verticalmente, ou seja, da mãe para o filho, se a gestante estiver já infectada ou contrair a doença durante a gestação. A amamentação também pode ser uma maneira de contágio. Nesse caso, a melhor forma de prevenção é a vacina, inclusive para mulheres grávidas.

7 – Atualmente, só há vacina contra as hepatites A e B e ambas estão disponíveis tanto no SUS quanto em clínicas privadas. A vacina contra a hepatite B faz parte do calendário de vacinação infantil obrigatório. O Programa Nacional de Imunizações (PNI) recomenda que a vacina contra a hepatite B seja aplicada já na maternidade ou na primeira consulta com o pediatra. O imunizante pode ser ministrado junto com a vacina BCG, que protege contra tuberculose, mas também é um dos componentes da pentavalente, que está disponível na rede pública e além da hepatite B protege contra difteria, coqueluche, tétano e Influenzae B. Nas clínicas particulares é possível encontrar a vacina hexavalente, que também imuniza contra poliomielite e evita mais uma picada no bebê, reduzindo o número de injeções. Nas localidades onde há registro de alta incidência, as crianças com idade de início escolar (entre 5 e7 anos) também devem ser vacinadas, caso não tenham completado o esquema vacinal contra a doença.

8 – A hepatite C é transmitida principalmente por sangue contaminado, quando há o uso por várias pessoas, sem a devida assepsia, de agulhas, seringas, alicates e outros equipamentos cortantes ou que possam perfurar a pele. O tipo C também sexual é uma doença sexualmente transmissível ou passar da mãe para o filho durante a gravidez e o parto, mas esses casos ocorrem raramente. Normalmente, a hepatite C é assintomática e mesmo quando o fígado já foi bastante comprometido o paciente não apresenta sinais aparentes.

 9 – No Brasil, a região Nordeste concentra a maior proporção das infecções pelo vírus A (30,6%). Já na região Sudeste há mais registros da incidência dos vírus B e C, com 35,2% e 60,9%, respectivamente.

 10 -  De acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde, aproximadamente 400 milhões de pessoas no mundo são infectadas pelos vírus das hepatites B e C e 1,4 milhão são atingidas pelo vírus tipo A. Estima-se que 57% dos casos de cirrose hepática e 78% dos casos de câncer hepático estão diretamente relacionados aos vírus de hepatite B e C.

  


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×