Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Mais que cáries: falta de higiene bucal pode originar doenças

Relaxamento com os cuidados diários com a boca durante o isolamento social preocupa especialista. Boca também pode revelar sinais de baixa imunidade do organismo

Compartilhe

A boca é órgão de deleite para um dos maiores prazeres do ser humano - a alimentação - mas é também é porta de entrada para bactérias e outros microrganismos. Nela pode começar outros problemas de saúde, que vão além das cáries, gengivites e problemas nos dentes. Para se ter uma ideia, um estudo divulgado pelo Instituto do Coração (Incor), da Universidade de São Paulo (USP), aponta que 45% das doenças cardíacas têm início na cavidade bucal, podendo ser nos dentes, lábios, gengiva, língua e bochecha. Entre elas estão a endocardite bacteriana, aterosclerose, arritmia, AVC (acidente vascular cerebral) e até mesmo o infarto.

Por isso, manter a higiene bucal em dia e estar atento a alterações na boca é essencial. Mas o cirurgião-dentista André Ferreira, tem observado que, devido ao isolamento social, muitas pessoas têm descuidado de cuidados básicos como a escovação frequente. “A boca não é separada do restante do organismo, pelo contrário, através dela bactérias, vírus e fungos acessar a corrente sanguínea e se espalhar pelo restante do corpo, chegando aos outros órgãos”, explica.

Até mesmo pacientes internados em unidades de terapia intensiva (UTI) precisam de cuidados odontológicos. “Quando os médicos detectam alguma infecção na boca do paciente nos acionam, independente se o paciente está com alimentação convencional ou não, o que determina nossa intervenção é a gravidade do caso”, revela André. Ele detalha que nestas situações os dentistas realizam a remoção do foco de infecção, a qual pode ser dar por meio de profilaxia (limpeza simples), raspagens (limpeza profunda), eliminação de doenças gengivais, abcessos, cistos, entre outros.

Reprodução internet

Cuidados

O dentista recomenda que não se deve negligenciar os cuidados básicos da higiene bucal, como usar o fio dental e fazer a escovação regular após as refeições. “As pessoas devem fazer um check-up bucal no mínimo uma vez ao ano, no qual o profissional faz um exame clínico avaliando os dentes, bochechas e demais regiões bucais. Se necessário, são pedidos exames complementares”. Além disso, André ressalta que é preciso cuidar da alimentação. “Antigamente se falava que um grande vilão para os dentes era apenas o açúcar. Hoje sabemos que há lesões não cariosas e outros problemas que acontecem pelos alimentos ácidos”.

É na boca também onde aparece vários sinais da baixa imunidade, como aftas, diversas formas de estomatite, amigdalite, herpes e inflamações gengivais e periodontais. O ideal, diz o especialista, é observar sua cavidade bucal e procurar um especialista sempre que perceber sintomas recorrentes ou persistentes, além de aspectos físicos diferentes.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar