Cientistas descobriram que o mosquito Aedes aegypti, muito conhecido no Brasil por transmitir dengue, zika e chikungunya, além de detectar o gás carbônico (CO²) que exalamos, costuma ser atraído por determinadas cores de roupas, incluindo vermelho, laranja, preto e ciano. Por outro lado, parecem ignorar outros tons, como verde, roxo, azul e branco.

Como mostra o site americano Science Daily, os pesquisadores acreditam que essas descobertas ajudam a explicar como o Aedes encontra seus hospedeiros, já que a pele humana, independentemente da pigmentação, emite um forte “sinal” vermelho-alaranjado para a visão do inseto.

Aedes aegyptiAedes aegypti

Os mosquitos parecem usar odores para ajudá-los a distinguir o que está próximo, como um hospedeiro para picar. Quando eles cheiram compostos específicos, como o CO² da nossa respiração, esse cheiro estimula os olhos a procurar cores específicas e outros padrões visuais, que estão associados a um hospedeiro em potencial, e se dirigem a ele”, comenta o pesquisador Jeffrey Riffell, da Universidade de Washington, nos EUA, principal autor do estudo publicado em fevereiro na revista Nature Communications, citado pelo Science Daily.

Saber quais cores atraem o Aedes aegypti pode ajudar na criação de repelentes mais eficazes, além de armadilhas e outros métodos para manter o mosquito afastado. No estudo, a equipe rastreou o comportamento de fêmeas do Aedes aegypti quando elas eram apresentadas a diferentes tipos de pistas visuais e olfativas. Como ocorre em todas as espécies de mosquitos, apenas as fêmeas bebem sangue. Os pesquisadores usaram pequenas câmaras nas quais pulverizaram odores específicos e apresentaram diferentes tipos de padrões visuais – como um ponto colorido ou uma saborosa mão humana.

Aedes aegyptiAedes aegypti

Sem qualquer estímulo de odor, os mosquitos ignoraram em grande parte um ponto no fundo da câmara, independentemente da cor. Depois de uma borrifada de CO², os insetos continuaram a ignorar o ponto se fosse verde, azul ou roxo. Mas se fosse vermelho, laranja, preto ou ciano, os mosquitos voavam em direção a ele.