Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Mulher descobre gravidez ao entrar em trabalho de parto

Jovem pensava que sinais do trabalho de parto eram sintomas de gastrite

A jovem Ana Paola de Toledo Souza, de 29 anos, teve uma surpresa quando procurou atendimento médico após sentir fortes cólicas. Depois de realizar exames, ela descobriu que estava prester a dar a luz a uma menina. A pequena, que recebeu o nome Manuelly, nasceu com mais de 3 kg e 49 centímetros. Mãe e filha já receberam alta.

O fato curioso aconteceu em Cubatão (SP). Para Ana Paola, as dores seriam sintomas de uma gastrite. Ela lembra que em agosto do ano passado, passou a ter muita azia, e não conseguia mais tomar café, bebida que tanto gostava. "Há oito anos tomo anticoncepcional sem pausa, então, eu não menstruava. Até então, a possibilidade de estar grávida estava descartada".

Jovem achava que dores fortes na barriga eram sintomas da gastrite | foto: Arquivo pessoalJovem achava que dores fortes na barriga eram sintomas da gastrite | foto: Arquivo pessoal

A jovem relata que foi ao médico à época, e tudo indicava que estava com gastrite. "Meu estômago inchava e eu não tinha enjoo, apenas não tinha apetite. Tudo que comia me estufava rápido, então, a médica receitou alguns medicamentos para gastrite, e me deu um encaminhamento para seguir o tratamento na UPA".

Ana tentou marcar consulta com um gastroenterologista, mas foi informada pela unidade onde buscou atendimento que só teria vaga depois de três meses. O tempo passou, e com a rotina de trabalho, ela não conseguiu marcar a consulta. "Passou mais um mês, mais outro mês, e assim foi indo. Eu, com os mesmos problemas de 'gastrite', passei a trabalhar temporadas em lojas de roupa, de lanche, trabalhos que exigiam muito tempo em pé. E meu pé estava inchado demais, cheguei a sair dos serviços porque achei que tinha problemas de circulação!", relembra.

Depois de sete meses, com a pandemia voltando ainda mais grave, Ana ficou em isolamento em casa, e chegou a ganhar alguns quilos. "Mas, não era nada de barriga de grávida, apenas estômago inchado. Não senti nem um batimento, muito menos um chute", conta.

No dia 1º de abril, Ana acordou com muita cólica, e com a barriga enrijecida. "Eu estava urinando muito branco, me assustei, e quando pesquisei na internet os sintomas, constava que eu estava entrando em trabalho de parto. Desacreditei, tentei descartar essa possibilidade, meu namorado e minha mãe também. Porque não tinha como acreditar que eu estava com um filho na barriga, e já para nascer", afirma.

Chegando ao hospital, o médico solicitou exame de urina, e o resultado apontou para infecção urinária e anemia. Logo em seguida, ela e o namorado compraram um teste de gravidez de farmácia para tirar a dúvida, e então veio a surpresa: o resultado deu positivo.

"Até 2 de abril, eu estava tomando meu anticoncepcional sem pausa. Quem me conhece sabe que eu não sou boa na alimentação, como muita besteira, ou seja, a Manu aguentou tudo isso quietinha, sem fazer um barulho, pois queria vir ao mundo de surpresa. E conseguiu, superou tudo isso, e sofreu com a mamãe reclamando o tempo todo de sua 'gastrite'. Ela é um doce de menina, e já nasceu super amada por todos!", conta a jovem.

A menina nasceu no último sábado (3), mas Ana e a filha receberam alta nesta terça-feira (6), e passam bem. "Quem me conhece, e me viu nesses últimos nove meses, tanto amigos quanto pessoas próximas e família, ainda está sem entender onde estava essa barriga com essa menina de 3,2 kg e 49 centímetros", finaliza a jovem, rindo.


Tópicos

comentários

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Desbloquear Notificações

Como desbloquear notificações

Na barra de endereço, clique no cadeado e em Notificações escolha a opção permitir, como na imagem abaixo

desbloqueio de notificação push
<