Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Por que a ressaca de hoje é pior do que aos 20 e poucos anos?

Com o Carnaval chegando, aprenda a respeitar os limites do seu corpo

Por que a ressaca de hoje é pior do que aos 20 e poucos anos?
|
Compartilhe

Enfiar o pé na jaca e encher o caneco de vez em quando pode até ser uma maravilha, mas a ressaca no dia seguinte sempre o fará prometer que foi a última vez que você bebeu. Mas você já notou que, com o passar dos anos, a ressaca parece piorar? Ou que você bebe menos, mas mesmo assim fica mais bêbado?

Vários são os motivos para isso, e não é necessariamente culpa de seu corpo: seu próprio modo de vida influencia. De acordo com uma pesquisa publicada em 2013, o ponto de “ruptura” entre uma vida de bebedeira “de boas” e uma vida de ressacas mais intensas ocorre, em média, aos 29 anos.

Acontece que a juventude realmente traz um pouco mais de inconsequência. Aos 25 anos, pouco após sairmos da faculdade, é o momento em que mais bebemos na vida – novamente, trata-se de uma média. Assim, estamos acostumados, nessa época, a entortar o caneco, sofrendo menos os impactos da bebedeira.

Se diminuir o ritmo, já era: a ressaca vai te pegar com mais facilidade

Conforme as obrigações adultas começam a chegar, a gente naturalmente tende a diminuir a quantidade de álcool que consome semanalmente. Com isso, nos tornamos menos tolerantes a excessos. Também tem o fato, é claro, de que o próprio envelhecimento cobra o seu preço, metabolizando menos rapidamente o álcool de sua corrente sanguínea. O resultado é uma ressaca mais intensa e mais prolongada no dia seguinte.

O fígado é responsável por metabolizar de 90% a 98% do álcool que você ingere. O resto é eliminado na urina, na respiração ou no suor. Com o avanço etário, o fígado se torna mais lento para processar a quantidade de bebida que você ingere.

Outro fator é que a idade costuma vir com um acúmulo maior de gordura corporal. E quanto mais gordinho você for – independente da idade –, menos você terá da enzima desidrogenase, que quebra o álcool em seu estômago e facilita a diluição. Assim, você passa a concentrar mais quantidades alcoólicas no sangue, ficando menos tolerante a seus efeitos.

Portanto, neste Carnaval já fique esperto: se você passou dos 30 anos, beba menos para ficar tão ou igual ao estado que você ficaria no passado. Seu corpo agradecerá na hora. E sua mente agradecerá no dia seguinte.

Aquela sensação de ter sido atropelado por uma tombeira no dia seguinte


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar