Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

'Vira-lata' dá à luz 16 filhotes e impressiona veterinárias

A cesariana durou cerca de duas horas

Compartilhe

O que parecia ser uma cesariana comum se transformou no parto mais surpreendente da carreira da médica veterinária Bruna Katrine Scaione, em Indiana (SP). A cadela sem raça definida, designação também chamada popularmente de “vira-lata”, foi levada para a clínica veterinária nesta quarta-feira (12) e a profissional ajudou no nascimento de 16 cachorrinhos. Mãe e filhotes estão bem.

Bruna contou que a dona, que pediu para não ser identificada e que também não permitiu a divulgação da imagem da cadela, relatou que a cachorra estava em trabalho de parto. A veterinária fez o encaminhamento para uma outra clínica para que fosse feito um exame de ultrassom.

Os 16 filhotes (foto: divulgação)

“A veterinária Luiza Moreno disse que tinham vários filhotes, que nem dava para contar direito. Mas imaginamos que seriam uns dez”, relatou Bruna. A aparência da mamãe também causou espanto pelo tamanho da barriga. “Parecia a barriga de uma mulher grávida de uns oito, nove meses, de tão grande”, brincou.

A cirurgia durou cerca de duas horas. “Foi cansativo. Foi a cirurgia mais cansativa que eu fiz em dez anos. A fêmea tem um porte médio, a gente esperava uns dez filhotes, no máximo 11. O útero ficou enorme, parecia não ter fim”, falou Bruna. A cirurgia foi feita junto com a veterinária Rafaela Tavares e mais dois auxiliares. “Foi um parto bem atípico. Nunca fiquei sabendo na região do nascimento de 16 filhotes”, destacou.

Exame de ultrassom (foto: duvulgação)

Bruna também explicou que não tem um motivo aparente para uma fêmea ter parido tantos filhotes, mas pode ser algo relacionado à genética. “Não sei muito sobre o histórico da cachorra. Pode ser algo genético, a mãe dela pode ter sido uma boa parideira também”, salientou.



Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar