Onde fica a vagina? Um em cada dois homens não sabe responder

Resultado pode impactar a vida sexual do casal e saúde da mulher

Atualmente, homens sabem como é uma vagina, são capazes de discutir assuntos como menstruação, reprodução e outras questões particulares da intimidade sem problemas, assim como todos os casais conversam confortavelmente sobre a própria vida sexual, certo? Em um mundo ideal, sim. Neste, nem tanto.

De acordo com uma pesquisa recente realizada pela The Eve Appeal – organização beneficente britânica que busca conscientizar as pessoas sobre cânceres ginecológicos –, grande parte dos homens não consegue identificar que parte do sistema reprodutor mostrada em um diagrama é a vagina .


Detalhes do estudo

Desde 1999, setembro é considerado o mês de conscientização dos cânceres ginecológicos, ou seja, câncer de colo do útero, de ovário, de endométrio, de vulva e vaginal. Pensando nisso, a organização realizou uma pesquisa com mil mulheres e mil homens para checar o quão conscientes as pessoas estão a respeito dos sintomas dessas doenças.

Para realizar a pesquisa, a organização pediu que as pessoas identificassem as partes do desenho que correspondiam à vulva, ao colo do útero, aos ovários, às trompas e à vagina. O resultado? Um a cada dois homens realmente não sabe onde fica o canal vaginal. Além de 500 homens não terem conseguido responder a essa questão, 61% dos homens entrevistados confundem a região com a vulva .

Por que isso é preocupante?

Além de falta de conhecimento sobre o aparelho reprodutor feminino, uma parcela dos homens consultados pela pesquisa mostra que há uma razão para o fato de que 43% das mulheres sofrem com problemas na área íntima  e não falam com ninguém sobre eles. Segundo os dados levantados, metade dos homens que responderam a pesquisa afirmam que não se sentem confortáveis discutindo problemas ginecológicos com a parceira, enquanto 17% dizem que “não sabem nada sobre saúde ginecológica e não acham que precisam saber, já que é um problema feminino”.

Além da falta de informação e interesse sobre a anatomia feminina poder gerar problemas na vida sexual (afinal, se o cara não sabe onde fica a vagina, com certeza terá problemas em encontrar o clitóris e em dar prazer à parceira), especialistas da organização afirmam que a falha na educação sexual também pode ter impacto na saúde. “Pelas ligações que recebemos de homens na The Eve Appeal, sabemos que eles podem ter um papel vital identificando sintomas [de doenças] e convencendo as parceiras a ir ao médico. Diagnósticos precoces podem salvar vidas”, diz Athena Lamnisios, executiva da organização, ao portal “The Telegraph”.

Fonte: Com informações do IG
logomarca do portal meionorte..com