Prazer anal dos homens não tem a ver com ser gay? Entenda!

Homens que gostam dessas carícias não são, necessariamente, gays.

"Estava conversando com amigas e fiquei chocada com o que me falaram. Elas disseram que vários homens com quem transaram gostavam de serem tocados no ânus, e que tem um tal de beijo grego... Comigo, isto nunca aconteceu! Será que, talvez, eles sejam gays? O que é o beijo grego? Se rolar comigo, não sei como será! Não é normal, né?

Homens que gostam dessas carícias não são, necessariamente, homossexuais. Representa uma zona de muita sensibilidade pela estimulação da próstata, cuja glândula fica a uns 5cm de profundidade, na parede anterior do ânus em relação ao pênis. Este ponto tem terminações nervosas que, se estimuladas, podem resultar em uma ereção mais firme. O nível desta ereção irá depender da intimidade e entrega do relacionamento. O estímulo provocado pelo dedo na região anal pode aumentar o prazer nele. 

Já o beijo grego é também conhecido como -anilíngua-. Significa beijar, colocar a língua ou os lábios de alguém em contato com o ânus de outra pessoa. Era uma prática comum na Grécia antiga – daí, este nome. A região anal é uma zona erógena provida de terminações nervosas – portanto, sensível a qualquer estímulo. Porém, na cultura brasileira, muitos homens têm preconceito de deixar sua parceira fazer o beijo grego neles.

Para alguns, admitir que gosta de ser beijado no ânus virou sinônimo de homossexualidade, o que não passa de uma grande bobagem e de preconceito! Ter prazer na região anal não faz ninguém mudar sua orientação sexual. Portanto, meninas, aprendam a aproveitar o resultado desta carícia.


Fonte: Horadesantacatarina
logomarca do portal meionorte..com