Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Saiba se é possível que o pênis fique preso à vagina após o ato sexual

Uma mulher disse que ela e seu marido ficaram presos um ao outro depois que ela teve um orgasmo

Compartilhe
Google Whatsapp

Você já sabe que, durante a sua vida, deverá ir ao médico algumas vezes para fazer exames e resolver problemas de saúde que ainda virão por aí. O que você talvez não imagine, porém, é que muitas pessoas têm o azar de parar no hospital por acidentes ocorridos durante o sexo. Aí fica complicado, não é mesmo?

O Dr. Aristomenis Exadaktylos, responsável por um estudo que avalia todos os casos de emergências médicas em seu hospital em Bern, na Suíça, falou à BBC a respeito de alguns acidentes causados pelo sexo, o que admite não ser o final mais romântico de todos.

Entre as complicações pós-sexo mais frequentes estão crises de enxaqueca, problemas cardíacos e até mesmo amnésia. No programa da BBC, Exadaktylos foi questionado a respeito de uma possibilidade que você talvez já tenha ouvido: a de o pênis simplesmente ficar preso dentro da vagina. Será que isso é possível?

Depoimentos

Uma ouvinte da rádio, que pediu para não ser identificada, disse que ela e seu marido ficaram presos um ao outro depois que ela teve um orgasmo. Segundo ela, seus músculos se contraíram tanto que a vagina “sugou” o pênis.

Outro ouvinte, que preferiu ser chamado apenas por John, contou que também passou por uma situação parecida quando estava com uma namorada. Segundo ele, certa vez, depois de ter uma relação sexual que definiu como “muito boa”, ele ficou sem conseguir retirar seu pênis de dentro da vagina da namorada.

John explicou que os dois ficaram rindo e tentando se desvencilhar por uns três minutos até que, enfim, conseguiram. Segundo ele, a experiência não foi nada dolorida. Atualmente John tem 75 anos e a história nunca mais se repetiu.

Possível

De acordo com o Dr. John Dean, médico sexual no Reino Unido, as duas situações narradas acima são perfeitamente críveis e parecem ser exemplos do fenômeno conhecido como “penis captivus”, algo como “pênis cativo”, que é o que pode acontecer quando a vagina fica extremamente inchada e se torna capaz de sufocar o pênis.

“Os músculos do solo pélvico se contraem ritmicamente durante o orgasmo. Enquanto os músculos contraem, o pênis fica preso e mais inchado”, explicou Dean. Nesse caso, o homem conseguirá retirar o pênis assim que os músculos da vagina ficarem descontraídos e relaxados.

É bem provável que você já tenha visto cachorros acasalando, e se você já viu também que cães ficam presos às fêmeas algumas vezes, saiba que a razão é bem diferente. O pênis de um cachorro é anatomicamente programado para ter um formado de “gancho” quando está penetrando. Essa mudança de formato acontece devido à grande circulação sanguínea no local e, por isso, ele pode ficar preso à fêmea.

De longa data

Segundo Dr. Dean, muitos de seus pacientes já relataram que ficaram presos depois do sexo, sendo que os relatos eram mais para saber os motivos e matar a curiosidade. Nenhum deles tinha a ver com dor ou problemas mais sérios em decorrência do “penis captivus”.

O médico explica que é preciso diferenciar casos de pênis cativos e de vaginismo, que é quando a vagina se contrai involuntariamente antes do sexo, de modo que é impossível até mesmo dar início ao ato.

Porém, os relatos a respeito do “penis captivus” não são recentes, não! Há até histórias mitológicas que falam a respeito de casais “amaldiçoados” com o castigo de não conseguirem mais se separar. Mais adiante, em 1933, o Manual de Ginecologia, escrito por Walter Stoeckel, defendia a ideia de que o pênis cativo só acontecia durante relações sexuais proibidas, já que o medo de um possível flagra era o responsável pela contração da musculatura vaginal.

A teoria não é completamente aceita, mas se sabe que quatro casos recentes no Malawi, nas Filipinas, no Zimbábue e no Quênia ocorreram em casais que pulavam a cerca. Será?




Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Recomendamos

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×