Uma em cada 10 mulheres sente dor na relação sexual, diz pesquisa

O resultado sugere que o problema é comum.

Uma pesquisa britânica constatou que uma em cada dez mulheres sente dor durante a relação sexual. O resultado sugere que o problema, conhecido como dispareunia é comum, afeta mulheres de todas as idades e muitas vezes é negligenciado pelos médicos. O problema é tão grave que algumas mulheres disseram que evitavam o sexo por medo de sentir dor. As informações são da rede britânica BBC.

No estudo, pesquisadores dos departamentos de ciências da saúde, ginecologia, psicologia e psiquiatria de cinco universidades britânicas, entrevistaram 7 000 mulheres sexualmente ativas com idades entre 16 e 74 anos na Grã-Bretanha. Os resultados mostraram que sentir dor durante a relação sexual era mais comuns entre mulheres na faixa dos 50 e 60 e poucos anos, e na faixa etária de 16 a 24 anos.

Entre as participantes que relataram dor durante o sexo (7,5%), um quarto sofre com o problema frequentemente ou sempre que teve relações nos últimos seis meses ou mais. Um terço destas mulheres também disse estar insatisfeita com sua vida sexual.


A dispareunia é caracterizada por dor durante relações sexuais envolvendo penetração. Geralmente, o incômodo está associado a problemas comuns como ressecamento vaginal, ansiedade e falta de prazer. Segundo especialistas, existem tratamentos eficazes para o problema, mas nem sempre as mulheres buscam ajuda: muitas sentem vergonha e ainda consideram um tabu falar sobre sexo. Também podem haver outras razões físicas, psicológicas e emocionais – mais difíceis de tratar – relacionadas a dores no sexo. Portanto, o ideal realmente é procurar um especialista.

Início da vida sexual, menopausa e DSTs

No estudo, as mulheres que mais relataram dor durante as relações sexuais estavam nas faixas etárias associada à iniciação sexual e à menopausa. Para Kirstin Mitchell, coordenadora da pesquisa britânica, “entre as mulheres mais jovens, a dor pode estar relacionada ao fato de estarem iniciando a vida sexual e aceitando práticas que o parceiro deseja, mas que na verdade não as excitam. Ou ainda, elas podem ficar tensas porque o sexo é uma novidade e elas não se sentem 100% à vontade com o parceiro.”, explicou.

Fonte: Com informações da Veja