Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

'Gente Querida' publica obras sobre Da Costa e Silva e Mandu Ladino

A coleção que tem por objetivo resgatar a história de personalidades marcantes da cultura piauiense irá homenagear Mandu Ladino e Da Costa e Silva

"Gente Querida" publica obras sobre Da Costa e Silva e Mandu Ladino
Nelson Nery Costa | Divulgação
Compartilhe

Resgatar a história de personalidades marcantes do universo cultural piauiense. Essa é a proposta da Coleção Gente Querida, idealizada pelo pesquisador Wilson Seraine e o professor Cineas Santos. Já são três volumes desse projeto instigante que mostra a riqueza de seu povo de uma forma simples, didática e alegre. Neste sábado, 14, às 18h30, na Livraria Anchieta, ocorre o lançamento de dois números. O volume 2, escrito por Nelson Nery e ilustrado por Caio Oliveira, trará aspectos da vida e obra do poeta amarantino Da Costa e Silva e o volume 3, escrito por Leandro Cardoso e ilustrado por Rogério Narciso, aborda a história de Mandu Ladino.

Leandro Cardoso

“Quando sonhamos em criar a Coleção Gente Querida, queríamos resgatar a história de personalidades que são destaques no universo cultural piauiense. Acreditávamos que compartilharmos essas informações seria uma forma de inspirarmos pessoas a conhecerem a riqueza da nossa cultura. Esse sonho deixou de ser nosso e passou a ser de muitos”, diz Wilson.

Na apresentação da história em quadrinhos sobre Da Costa e Silva, Cineas Santos afirma que o mais festejado dos poetas piauienses é, paradoxalmente, um dos menos lidos da literatura regional. “Quando se fala de Da Costa e Silva, invariavelmente alguém afirma: ‘O grande poeta de Saudade’. A conversa não prospera. Os que se arriscam um pouco mais chegam à letra do Hino do Piauí. Convenhamos que é pouco para um poeta da estatura dele. Então, nada mais louvável que a edição deste livro”, diz o professor.

Wilson Seraine

Nelson Nery Costa, presidente da Academia Piauiense de Letras (APL) e escritor do HQ sobre Da Costa e Silva, conta que preparou o roteiro de storyboard ou esboço sequencial das imagens que serviram de inspiração para o ilustrador Caio Oliveira. “O Caio é um brilhante desenhista do nosso Estado. Ele trabalhou de uma forma muito bonita e com a verne da sua arte”, ressalta

O resultado foi mostrado antes para o embaixador Alberto da Costa e Silva, filho do poeta, que ficou bastante satisfeito com o livro, segundo Nery. “Ele afirmou que Da Costa e Silva ficaria feliz ao ver a sua vida em forma de história em quadrinhos. Ele era um excelente desenhista”.

O primeiro livro do projeto foi uma homenagem à cantora  piauiense Maria da Inglaterra. Ele contou em forma de história em quadrinhos a trajetória dessa artista do povo e teve uma repercussão no meio cultural dada a sua forma singela de falar de uma personalidade artística que é marcante dentro da sua popularidade e importância para a cultura do Piauí.

Pesquisador do Cangaço, o médico cardiologista Leandro Fernandes que assina o livro sobre  Mandu Ladino acredita que ele tenha sido um precursor de Lampião. O herói indígena travou combates em defesa da vida dos índios e retaliou o poder constituído na época. A razão para escrever sobre ele, partiu de uma necessidade que ele percebeu.
“Tentei encontrar algo sobre Mandu Ladino na literatura piauiense e achei pouca coisa. Foi quando chegou às minhas mãos o romance ‘Mandu Ladino’, escrito por Anfrísio Lobão Castelo Branco. A obra nos ofertou uma base histórica. Após pesquisas e com o traço sólido do ilustrador Narciso, conseguimos definir o roteiro da história e uma imagem para Mandu. Nosso trabalho ficou interessante, fidedigno e deve ser colocado nas escolas. Deve ter visibilidade porque ele mostra um personagem esquecido da nossa história. Devemos proporcionar essa oportunidade para que os jovens tenham contato com o referencial histórico que ele representa”, destaca Leandro Fernandes. O projeto conta com o apoio da Oficina da Palavra, da Academia Piauiense de Letras e do programa A hora do Rei do Baião. (Por Liliane Pedrosa)




Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar