Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Compositor faz marchinha divertida e brinca com falta de água em SP

Marcelo Jeneci lamenta crise hídrica com marchinha "Sereia da Cantareira"

Compositor faz marchinha divertida e brinca com falta de água em SP
Marcelo Jeneci | Divulgação
Compartilhe

 


Com saia longa verde, top e prancha de natação, a designer Joana Brasiliano entoa "Sereia da Cantareira", sobre o solo rachado, que lembra um cenário semi-árido, às margens de uma das represas do Sistema Cantareira, em São Paulo: "Tô Seca, não tô molhada. Eu sou Sereia da Cantareira". As imagens e a canção são cômicas, mas "o fato é triste", diz o cantor Marcelo Jeneci, um dos criadores da marchinha, que ganhou um clipe nesta segunda-feira (26) e deve fazer parte do Carnaval de rua deste ano. 

Jeneci, autor dos hits "Pra Sonhar" e "De Graça", conta que a ideia da música surgiu durante uma reunião de amigos em sua casa. Joana chegou com o refrão e todos foram a ajudando a desenvolver a letra, que também traz os versos: "Quem vai 'alckimizar' água de esgoto por aí? Do M-Boi Mirim até o 'u' do Morumbi". Além de participar da composição, Jeneci também assumiu a sanfona na canção. 

 

 

"Foi a maneira que encontramos de exorcizar um pouco esse assunto", disse o artista à reportagem. "Já que o Carnaval é nossa maior arma, nossa principal festa, vamos levar esse assunto em forma de lamento." A intenção é despertar a preocupação das pessoas e alertar para a maneira como o assunto é tratado, principalmente pela grande mídia. "Enquanto isso não chegar na consciência da maioria das pessoas, mais rapidamente a gente vai se afogar nessa falta de água."

Um dos maiores problemas, na visão do artista, é que o assunto ainda é tratado sob ordem financeira. "70% da água do Brasil é direcionada para agricultura, 22% para a indústria, e 8% para as residências. Acho bacana incentivar a economia, mas talvez esteja mais do que na hora de rever essa equação. Sobre isso, pouco se fala."

 


 


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar