Adolescente não corta unha há 3 anos e tem dificuldades com tarefas

Apesar das críticas, a jovem conta que nunca vai cortar as unhas

Simone Taylor, 16 anos, que mora em Nuremberg, na Alemanha, não corta as suas unhas há três anos e por esse motivo teve que reapreender até mesmo a fazer tarefas diárias básicas. Atualmente, suas unhas estão medindo 14,8 (polegar) a 12 centímetros (demais dedos) e estão dificultando a vida da adolescente.

Ela conta sua dificuldade nas aulas de Educação Física. "A aula de Educação Física é um problemão. Não posso jogar vôlei, basquete ou qualquer coisa semelhante", diz.


As unhas são tão comprimidas que segurar uma simples caneta virou uma árdua tarefa 

— Eu estou em provas no momento e é difícil para escrever. Depois de uma hora minhas mãos começam a doer absurdamente.

"Meus professores estão sempre tentando me convencer a cortar as unhas, mas eles nunca vão conseguir", afirma ressaltando que ao precisar usar o computador digita usando as juntas dos dedos.

A adolescente conta que não tinha intenção de deixá-las tão enormes, mas como recebeu muitos elogios ela acabou deixando-as. "Acabaram se tornando uma parte de mim. São meus xodós", explica.


Muitas pessoas perguntam quando veem a adolescente pela primeira vez como é que faz para ir ao banheiro, mas ela conta que "escovar os dentes e usar o banheiro" não são problemas, mas revela que tomar banho é mais complicado, assim como precisa ter bastante cuidado ao se vestir e afirma que demora "séculos:  para se arrumar.

— Mesmo que minhas unhas não quebrem, dói muito quando elas enroscam nas roupas. Então eu faço as coisas bem lentamente. Abotoar uma camisa pode levar anos.

Para manter as unhas limpinhas, Simone passa contonete na parte interior todos os dias e gasta cerca de 3h para poder pintá-las e 1h30 para remover o esmalte.

Simone enfatiza que apesar dos comentários negativos não pretende cortá-las nunca. 


Fonte: r7
logomarca do portal meionorte..com