Bebê nasce com órgãos para fora do corpo devido condição rara

A criança nasceu com gastrosquise, uma mal formação fetal

O bebê Elliotte Sargent, da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, nasceu em setembro do ano passado e precisou passar por uma cirurgia imediatamente devido alguns de seus órgãos, como estômago, intestino e ovário estarem para fora do corpo. 

Os médicos diagnosticaram a menina com gastrosquise, uma malformação fetal que causa uma abertura na região abdominal.  

A cirurgia para fechar a barriga da bebê começou com um procedimento de duas horas, mas nem tem todos os órgãos foram colocados no lugar correto porque não havia espaço suficiente. Os que ainda ficaram para fora foram cobertos por um saco plástico para evitar exposição. Depois disso, a própria força da gravidade seria responsável por encaixá-los no corpo de Elliote.

Elliotte Sargent quando estava internada no hospital
Elliotte Sargent quando estava internada no hospital

A criança ficou internada no hospital 63 dias onde foi monitorada até que uma nova cirurgia pudesse fechar por completo a abertura da região abdominal. "Finalmente, eu pude segurá-la. Foi um momento incrível. Completamente maravilhoso”, afirmou Mary Sargente, mãe da menina, em entrevista ao site Daily Mail..

O bebê mamou pela primeira vez na mãe no 19º dia em que estava internada. Antes ela só havia se alimentado através de aparelhos.

Os médicos que acompanham a criança disserram que ela passa bem e que dificilmente precisará passar por novas cirurgias no futuro.

A malformação foi descoberta quando a mãe da criança fez uma ultrassom para descobrir o sexo do bebê. Por conta da gastrosquise, a parede abdominal de Elliote não se formou corretamente, deixando os órgãos expostos após o nascimento.

Segundo revisão feita por Hans Walter Ferreira Greve, membro do departamento científico da Sociedade Brasileira de Pediatria, em 2014, a incidência varia de 1 a 5 casos por 10 mil nascidos vivos, não havendo predileção por gênero.  O problema pode causar complicações como perfuração intestinal, necrose e síndrome do intestino curto.

Felizmente, nenhum dos órgãos que estavam para fora de Elliote parecem ter sido afetados pela exposição. A menina, hoje, é só sorrisos nas fotos compartilhadas pela mãe em sua rede social. “Ela é meu milagre”, afirmou Mary.

Elliotte Sargent
Elliotte Sargent



Fonte: msn