Confira dicas de como congelar alimentos da maneira correta

Saber congelar alimentos é muito importante para sua vida.

Saber congelar alimentos é muito importante para sua vida. Se fizer isso da maneira correta, os alimentos congelados não perdem muitos nutrientes comparados aos frescos e duram muito mais do que se deixados na geladeira. Em temperatura aproximada de -18º, a atividade dos microrganismos é reduzida.

Frutas para preparos

Frutas vermelhas, como cerejas, morangos e framboesas se adaptam bem ao processo de congelamento e podem ser consumidas in natura ao sair do freezer. Mas as com muita água, como melancia e melão ficam molengas ao serem descongeladas. Outras escurecem, como a pera e a banana. Nesses casos, a indicação de uso é para o preparo de sucos, geleias e caldas.

Branqueamento de hortaliças

Para congelar vegetais, eles devem passar pela técnica de branqueamento, que é escaldar em água fervente e, em seguida, resfriar numa bacia com água e gelo. Em média, são 35 segundos para legumes mais consistentes, como a cenoura, e 15 para os mais macios e delicados, como a vagem, abobrinha, espinafre, couve ou repolho. Antes de ir para o freezer, é preciso retirar ao máximo a água, para não formar cristais que comprometerão a qualidade dos vegetais.

A embalagem

A selagem a vácuo é ideal, porque o alimento não entra em contato com o ar frio e seco do congelador. Mas também funciona usar sacos com fechamento hermético, livres de Bisfenol A (BPA). Basta retirar o máximo de ar antes de fechar a embalagem – dá para fazer isso ao sugar um canudo limpo posicionado no canto do saquinho. Vasilhames de vidros também são boas opções. O tamanho deve ser adequado à quantidade de alimento, para evitar o excesso de ar no interior e também a possibilidade de acúmulo de líquidos, que geram cristais de gelo maiores.


Comidas já prontas

Pratos já preparados – como feijão e sopas - devem ser pouco temperados antes de ir ao freezer, porque o congelamento acentua os temperos. Vale também reduzir o cozimento, para que ao serem aquecidos eles estejam no ponto certo. Não vale a pena congelar alimentos já fritos: a umidade acaba com a crocância da comida. Macarrão cozido também amolece ao descongelar.

Descongelamento só na geladeira

Na geladeira, o ataque das bactérias é mais lento, fora que o processo suave de descongelamento ajuda a manter cor, sabor e textura dos alimentos. Deixar o alimento sobre a pia para degelar mais rápido é sempre um risco, por conta da proliferação de bactérias em temperatura ambiente.

Não é para descongelar e recongelar

Tirou do freezer e não preparou, o que você faz? Voltar a congelar não deveria ser uma opção, porque aumenta quantidade de bactérias no alimento, que podem causar intoxicação. Descongelada, a comida volta a ser alvo das bactérias, portanto, será recongelada com mais microrganismos. Para piorar, ao descongelar novamente, ela aumentará ainda mais a proliferação das bactérias.

Porções individuais

O ideal é que os alimentos sejam congelados em porções pequenas, adequadas ao número de pessoas da casa, para que sejam consumidos em uma refeição. Recongelar as sobras, como já explicado acima, não é indicado.

Pegue leve com o freezer

Utilize, no máximo, ¾ da capacidade máxima do congelador. Quando o freezer está muito cheio, não são todos os alimentos que ficam próximos às paredes do congelador. Amontoados, eles recebem menos ar frio, demoram mais para congelar e, por isso, tem a validade comprometida.

Devem passar longe do freezer

Alguns alimentos não ficam bons após o descongelamento: maionese, verduras cruas, gelatinas, claras em neve, pudins cremosos a base de amido de milho e batata. A raiz só funciona no freezer se estiver em um preparo, com outros ingredientes. Por exemplo, um escondidinho com purê de batata pode ser congelado.

Não dura a vida toda

Os congelados também têm datas de validade, que devem ser respeitadas - para ajudar a organização, identifique os recipientes com nome, data de congelamento e validade. Alguns exemplos: 

- Carnes bovina crua: até 12 meses. - Salsicha, linguiça e bacon: 2 meses. - Hambúrgueres e frango: 9 meses. - Peixes magros: 6 meses. - Pratos prontos: de 15 a 30 dias. - Frutas e hortaliças: de 1 a 3 meses.

Fonte: Com informações do UOL
logomarca do portal meionorte..com