Dor de cabeça? Aprenda a identificar os tipos mais comuns

Veja uma descrição das causas mais comuns

Você alguma vez sentiu que a sua cabeça estava prestes a explodir ou, ainda, que parecia que havia alguém martelando um dos lados do seu crânio? Pois praticamente todo mundo já sofreu com algum tipo de dor de cabeça na vida, e a seguir você poderá conferir uma breve descrição das variedades mais comuns. Confira:

1 – Cefaleia de tensão

Sabe aquela dorzinha chata que, apesar de não derrubar ninguém, incomoda um bocado? Essa é a cefaleia de tensão, o tipo mais comum de dor de cabeça que existe por aí. Ela costuma aparecer — como o próprio nome sugere — por conta do excesso de tensão na musculatura da região do pescoço, assim como dos que se encontram junto ao crânio, portanto como resultado de estresse, ansiedade, nervosismo e inquietação.

A intensidade dessa variedade de dor de cabeça não é muito forte — quando comparada aos demais tipos —, e sua duração pode variar de apenas alguns minutos a vários dias. A cefaleia de tensão também costuma ser bilateral e, às vezes, se caracteriza pela sensação de pressão na cabeça.

O tratamento mais comum está baseado no uso de analgésicos. Entretanto, quando as crises se tornam frequentes, em vez de medicamentos, é indicado que os afetados realizem atividades físicas — como a prática de yoga —, façam relaxamento e fisioterapia. Além disso, a acupuntura também pode ajudar a liberar a tensão muscular.

2 – Enxaqueca

As enxaquecas, como você sabe, consistem em fortes dores de cabeça que podem ser debilitantes. Normalmente, elas são antecedidas por uma sensação de formigamento na cabeça, vista embaçada e pela visão de padrões brilhantes — como “estrelinhas” e auras — e, quando as crises finalmente se manifestam, muitas vezes as dores são acompanhadas de sintomas como sensibilidade à luz e a barulhos, além de náuseas e vômitos.

Classificadas como um distúrbio neurovascular, as enxaquecas geralmente afetam pessoas com predisposição genética para a doença e são desencadeadas por diversas causas, como desequilíbrios hormonais, consumo de determinados alimentos — entre eles os embutidos, os queijos fortes, o chocolate e o açúcar —, estresse, insônia, jejum prolongado e a ingestão excessiva de café e bebidas alcoólicas. 

Para evitar a enxaqueca, é importante identificar quais são os fatores que desencadeiam as crises. Mas, se ela se manifestar, o tratamento envolve o uso de analgésicos, começando assim que aparecerem os primeiros sintomas. Além disso, a prática de atividades físicas regulares, hábitos de sono saudáveis, restrição no consumo de cafeína e de alguns alimentos e o controle do estresse também podem ajudar a evitar o problema.

3 – Cefaleia em salvas

Caracterizada por dores excruciantes e pulsantes em um dos lados da cabeça — e frequentemente atrás de um dos olhos —, a cefaleia em salvas também pode vir acompanhada de sintomas como o lacrimejamento, coriza, náusea, alteração da pupila, inchaço da pálpebra e até da face na lateral afetada.

Esse tipo de dor de cabeça costuma ser incrivelmente intensa e ter duração que varia entre 30 minutos a mais de uma hora, podendo se repetir várias vezes ao dia por intervalos que podem durar de três dias a dez semanas — por essa razão ela é chamada “cefaleia em salvas”. Ao contrário da enxaqueca, esta cefaleia é rara (e não vem acompanhada da sensibilidade ao ruído ou à luz), sem falar que não existe uma cura definitiva para ela.

No entanto, se você sofre com esta dor de cabeça horrorosa, alguns dos tratamentos são a inalação de oxigênio a 100% — durante 15 minutos —, o uso de potentes analgésicos e a aplicação de anestésicos. Além disso, existem algumas formas de prevenir as crises, como evitar o consumo de bebidas alcóolicas e manter hábitos saudáveis de sono.

4 – Sinusite

Se, além de sentir a cabeça doendo e pesada, você também sente dor nas maçãs do rosto, na testa ou ao redor dos olhos, existe a possibilidade de que você tenha sinusite — uma inflamação nas mucosas das cavidades ósseas que existem ao redor do nariz, na face e embaixo dos olhos.

A sinusite pode ser provocada por processos alérgicos ou infecciosos e, além das dores na cabeça e na face, também é possível que os doentes tenham febre, coriza, tosse, obstrução nasal e dificuldade para respirar. O tratamento depende do correto diagnóstico da doença — portanto, procure um médico! —, mas geralmente envolve o uso de antibióticos e corticoides.

Fonte: Com informações do Megacurioso
logomarca do portal meionorte..com