Ensaio de nu artístico comenta com objetos maneira que se vê corpo

O desejo foi mostrar as pessoas como são

A nudez pode ser literal, através da exposição de um corpo e de órgãos sexuais sem roupa, mas pode ser também simbólica, através da maneira com que cada um enxerga o próprio corpo, e principalmente o próprio sexo.

Quando decidiu por realizar uma série de nus artísticos, o fotógrafo cearense Daniel Fama, decidiu por registrar a segunda opção de nudez. Para conseguir registrar essa inalcançável visão de si em seus modelos, o fotógrafo pediu que cada pessoa fotografada escolhesse um objeto para representar a maneira como vê seu corpo e sexo.

Atores, dançarinos, pintores e outros personagens das cenas culturais de Brasília, onde vive Daniel – assim como interessados anônimos, não ligados às artes – formaram o elenco de 50 pessoas de todos os tipos, tamanhos e cores, clicadas no ensaio que o próprio Daniel afirma revelar uma “relação simbólica com o corpo”. O nome escolhido para o projeto foi [Nu] Objeto.

Outro elemento determinante do trabalho foi o desprendimento com padrões de beleza ou com o corpo que estamos habituados a ver em ensaios de nu. O desejo foi mostrar as pessoas como são, sem tratamento de imagem ou edição que corrigisse particularidades ou especificidades de cada corpo – nada além de uma pessoa, nua, exibindo não só seu corpo sem roupa, como também seus pensamentos, e a maneira como ela própria se vê.

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Fonte: Com informações do Hypeness
logomarca do portal meionorte..com