Fotojornalista capta animais que foram vítimas de abuso em série

Os animais demonstram afeto, alegria e confiança

Considerando que todos os animais registrados pelas lentes da fotógrafa Jo-Anne McArthur foram agredidos e abusados por mãos humanas (antes de chegarem ao santuário de recuperação de animais onde as fotos são tiradas), e que ainda assim os animais demonstram afeto, alegria e confiança com a presença de outras pessoas, pode se concluir que o material mais forte das imagens de Jo-Anne é a inteligência, bondade e a capacidade de perdoar desses animais fotografados.

Há 15 anos Jo-Anne fotografa esses animais em recuperação, em santuários pelo mundo todo. Algumas histórias terminam em finais felizes, com o animal novamente saudável e devidamente feliz. A maioria, porém, se encerra no esforço para oferecer conforto e carinho para os últimos dias de um animal violentado, à beira da morte. Segundo ela diz em seu livro We Animals (Nós, animais), “todos os animais merecem algum lugar onde possam se recuperar, onde possam ser amados, onde possam experimentar suas escolhas e sua autonomia”.

Um santuário em especial, o Farm Sanctuary, é hoje para Jo-Anne como uma segunda casa, onde ela encontra animais com os quais já possui extensa relação, onde aprendeu a se tornar uma ativista, e onde vai para se recuperar de toda crueldade que testemunha. A medida da gratidão e do amor oferecido pelos animais é também, em inversa proporção, a medida da ignorância humana ao agredi-los.

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Fonte: Com informações do Metropoles