Inscrições apontam vida no deserto da Jordânia

Inscrições apontam vida no deserto da Jordânia

Pesquisadores descobriram inscrições petróglifos

Pesquisadores descobriram inscrições petróglifos de aproximadamente dois mil anos de idade na região que faz parte de Jebel Qurma, no deserto da Jordânia.

Segundo os pesquisadores, as inscrições remontam uma época em que o terreno, hoje praticamente inabitado, era repleto de vida.

As fotografias tiradas pela equipe do terreno atual mostram escassez de água, vegetação e vida selvagem.

As descobertas feitas no Jebel Qurma se apresentam em uma antiga língua utilizada pelos sírios e árabes em tempos muito remotos. As pesquisas seguem, mas os arqueólogos dizem que tudo indica que há cerca de dois mil anos haviam árvores, vida selvagem e uma população considerável de seres humanos em Jebel Qurma.

Os petróglifos, ou artes sobre pedras, mostram imagens como leões, gazelas, cavalos e pássaros de grande porte. As inscrições encontradas próximas a esses desenhos eram bem pequenas, na maioria das vezes.

Alguns textos contêm informações sobre o que as pessoas faziam, com algumas inscrições levando os cientistas a acreditar que o povo de Jebel Qurma enfrentava conflitos com os nabateus – povo que construiu a cidade de Petra. “Estou procurando pelos nabateus”, diz uma inscrição.

Fonte: Climatologia geográfica