Louva-a-Deus são vistos atacando aves e comendo seus cérebros

Insetos parecem ter preferência por beija-flores

Para quem não sabe, os louva-a-deus receberam esse nome por conta da postura que eles adotam quando estão paradinhos, que lembra a posição na qual as pessoas ficam quando estão rezando. No entanto, apesar da denominação popular quase piedosa, não é nenhum segredo que esses insetos não têm nada de santos!

 (Crédito: National Geographic)
(Crédito: National Geographic)


Existem cerca de 1,8 mil espécies de louva-a-deus pelo mundo, e esse bichos são vorazes predadores que se alimentam principalmente de moscas, pulgões, grilos e aranhas — mas não se intimidam diante de pequenos anfíbios e répteis. E, ultimamente, os louva-a-deus têm sido observados com cada vez mais frequência atacando aves. O mais perturbador, no entanto, é que parece que esses insetos desenvolveram o gosto por devorar o cérebro das coitadas.

Predadores mortais

Os louva-a-deus contam com longos pescoços e são capazes de girar suas cabecinhas triangulares em 180 graus. Além disso, eles são verdadeiros mestres na camuflagem e possuem poderosas patas dianteiras repletas de estruturas pontiagudas que os ajudam a capturar e segurar suas presas.

 (Crédito: National Geographic)
(Crédito: National Geographic)

E falando em presas, segundo Mindy Weisberger, do site Live Science, cientistas monitorando o comportamento desses insetos ao redor do mundo concluíram que eles vêm capturando e devorando aves com bastante regularidade. Os pesquisadores realizaram um extenso levantamento de informações sobre esses casos, presentes em artigos científicos, livros, dissertações e inclusive postagens em redes sociais, e descobriram que o primeiro caso documentado ocorreu na Argentina em 1864.

 (Crédito: Megan Ralph, Dryad Ranch)
(Crédito: Megan Ralph, Dryad Ranch)

Os pesquisadores identificaram 147 casos — em 13 países diferentes e em todos os continentes, com exceção da Antártida — de louva-a-deus atacando pequenos passarinhos. Entretanto, 67% das observações aconteceram entre os anos 2000 e 2015, principalmente em países de climas cálidos, e dos casos documentados, 70% foram observados nos EUA.

Os cientistas também descobriram que a ave mais atacada são os beija-flores, coitadinhos, mas que pardais, canários e pintassilgos são frequentes no cardápio. E, segundo Peter Dockrill, do site Science Alert, os louva-a-deus são animais sorrateiros. Esses insetos ficam lá parados — como se estivessem rezando — aguardando que uma presa se aproxime sem notar sua presença para atacar e, assim que ela é capturada, os bichos começam a devorá-las ainda vivas.

 (Crédito: Chris McCarthy)
(Crédito: Chris McCarthy)

Com relação ao aspecto “Hannibal Lecter” do banquete, os louva-a-deus ganham acesso ao crânio das aves por meio da cavidade ocular — por onde eles devoram seus cérebros. Aliás, os ataques frequentemente acabam com a completa decapitação dos passarinhos e, pouco a pouco, os insetos vão consumindo os pobrezinhos até que não reste mais nada.

O comportamento pode ser natural, mas não deixa de ser sinistro! De qualquer maneira, os cientistas explicaram que o levantamento apontou que os louva-a-deus não parecem representar perigo para determinadas populações de aves, especialmente os beija-flores, suas vítimas favoritas.

Fonte: Com informações do Megacurioso
logomarca do portal meionorte..com