Modelo é demitida por menstruar em evento e vai processar empresa

A roupa que ela estava acabou manchada de sangue no evento

A modelo americana Rachel Rickert, de 27 anos, passou três horas recepcionando convidados em uma feira de automóveis, a New York International Auto Show, nos Estados Unidos. Era para ser só mais um dia de trabalho comum, até que um imprevisto aconteceu. Segundo Rachel, por conta do período menstrual, a roupa acabou manchada de sangue. O que ela não poderia imaginar é que o "apuro" fosse custar seu emprego 

Rachel alega ter sido demitida por ter ficado menstruada na feira. Afirma que irá processar a empresa a qual estava prestando seus serviços, a Hyundai.


De acordo com a modelo, ela passou três horas de pé, ao redor de muitos clientes, antes que pudesse ter uma pausa para ir ao banheiro e não chegou a tempo para trocar, como ela conta em entrevista ao jornal americano NY Post, o absorvente íntimo que estava usando no momento.

Rachel ressalta que comunicou o acontecimento a responsável pelas modelos no evento. "Avisei que meu uniforme havia manchado. Pedi um novo e um tempo para ir ao banheiro", afirma resaltando que a mulher a mandou para casa e pediu que a modelo não trabalhasse mais aquela noite.

Rachel diz ter tentado reverter a situação. Disse que, após a ida ao banheiro, gostaria de continuar no posto porque estava sendo paga por cada hora trabalhada.

O pedido foi negado, segundo ela. Mas surpresa veio mesmo no dia seguinte:

— Ela (a responsável) me ligou e disse que eu estava dispensada!

"Me disse que o cliente não queria mais que eu o representasse no evento, porque ficou sabendo do ocorrido", detalha.

No entanto, segundo o NY Post, Rachel ainda teria mais alguns dias de trabalho pela frente e um pagamento, detalhe, estimado em R$ 16 mil.


Rachel lembra da reação: "Fiquei chocada com a notícia". Ela conta que ficou indignada com tudo e resolveu entrar com um processo judicial contra a empresa que contratou o serviços.

"A gente não é um robô. Temos que usar o banheiro, especialmente quando você está no seu período", protesta.

"Eles agem como se não fossemos humanos. Não vou me envergonhar por estar menstruada", completa 

— Não dá para permitir que alguém me diga que não posso trabalhar porque estou menstruada. É inaceitável!

O caso repercutiu nos jornais americanos e percorreu os principais tabloides do mundo. E para piorar, Rachel ainda alega que não recebeu nenhum tostão pelo tempo trabalhado.

Segundo o NY Post, a empresa que contratou as modelos recusou-se a comentar o assunto. Já um porta-voz da Hyundai se pronunciou: "Levamos qualquer tipo de queixa à sério e nos pronunciaremos adequadamente após investigar o caso cuidadosamente" 

Fonte: hora7
logomarca do portal meionorte..com