Posições arriscadas podem quebrar o pênis; veja o que fazer!

Essa é uma fratura muito pior que a quebra de um braço, sabia?

"Ele” não tem osso, mas quebra e quebra feio! Estamos falando de fraturas penianas, aquelas que costumam acontecer devido a posições arriscadas na hora do sexo ou durante relações íntimas sob muito estresse, como em locais desconfortáveis e até mesmo durante uma relação extraconjugal. Tenso não?

A notícia pode até ser engraçada quando acontece com desconhecidos ou mesmo com os famosos, quando quem quebra o pênis é você, a situação é um pouco mais complicada. Aliás, depois dessa matéria, mesmo se você não for um homem, vai sentir um certo desconforto ao saber o que acontece com quem quebra o pênis.

Isso porque, segundo especialistas, uma lesão peniana é muito pior, mais dolorosa e, claro, mais constrangedora que qualquer outra. O cirurgião e urologista Andrew Kramer afirma, em seu artigo, que essa é uma fratura muito pior que a quebra de um braço ou de uma perna. Dá para acreditar?


O que sente quem quebra o pênis?

Agora, quer saber como o médico conseguiu dimensionar essa dor? Observando e acompanhando o tratamento de 16 pacientes nada afortunados que enfrentaram esse problema (achou que ele tinha quebrado o danado, né?).

E os sintomas enfrentados por alguém que quebra o pênis parecem mesmo dolorosos. Isso porque, no momento da lesão, ouve-se um barulho que parece realmente que algum osso está sendo partido. Nesse momento, o tecido do pênis se rompe, causando a lesão muscular. Além disso, ocorre sangramento subcutâneo, ou seja, abaixo da pele; que faz com que o órgão ganhe uma coloração arroxeada e, dependendo do caso, ganhe uma bolsa escura no local da fratura.


Quebrou. E agora?

Se você está se perguntando o que fazer se isso acontecer, fique sabendo que correr contra o tempo é o melhor remédio quando alguém quebra o pênis. Deve-se, imediatamente, colocar compressas de gelo e procurar um médico.

O “desastre” costuma melhorar em, mais ou menos, 6 semanas (sem relações sexuais, obviamente) e tratamento pode incluir anti-inflamatórios e, em casos mais graves, pode ser necessário até mesmo cirurgia para reconstrução do órgão e ligação dos vasos sanguíneos rompidos.

Na maioria dos casos, não ocorrem danos permanentes, a não ser quando a lesão é muito intensa ou quando se demora a procurar ajuda médica. Sob essas circunstâncias, o indivíduo pode sofrer com disfunção erétil.

Fonte: Segredosdomundo/R7
logomarca do portal meionorte..com