Salsicha Faz Mal à Saúde? saiba mais sobre a guloseima

A salsicha também é classificada como uma carne processada

Protagonista do saboroso cachorro-quente, a salsicha também aparece em receitas de macarrão, bolinhos, tortas, enroladinhos, muffin, arroz de forno, escondidinho, panqueca, salda, suflê, rocambole, fritada, lasanha e wrap, por exemplo.


O ingrediente traz consigo as vantagens de ser barato e de poder ser preparado de maneira rápida. Mas será que podemos comer a salsicha tranquilamente e à vontade? Ou o consumo de salsicha faz mal e traz perigos à saúde, devendo ser feito com cuidado?

Salsicha faz mal à saúde?

É importante saber que se trata de um alimento embutido, ou seja, é formado por carne picada e condimentada e envolvida em um produto sintético ou de origem animal. Para terem maior duração, esses alimentos são modificados quimicamente.

Um dos graves problemas em relação aos alimentos embutidos é o fato de eles carregarem um teor alto de gorduras saturadas, que estão associadas ao aumento dos níveis de colesterol e a elevação do risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Para ter uma noção, uma porção de 100 g de salsicha apresenta 9 g de gorduras saturadas.

Os embutidos como a salsicha também são abundantes em aditivos. Esses aditivos deixam o fígado sobrecarregado, devido ao fato de que o órgão não consegue eliminá-los da maneira apropriada.

O problema com o sódio

Outro aspecto que reforça a afirmação de que a salsicha faz mal à saúde é o seu teor de sódio – são encontrados 848 mg do mineral em cada porção de 100 g do alimento. Nos embutidos, o sódio é o principal ingrediente utilizado para aumentar a sua duração.

No corpo humano, o mineral auxilia a contração muscular, a transmissão de impulsos nervosos, trabalha na regulação da pressão arterial, age no equilíbrio dos fluidos corporais e atua na manutenção de níveis regulares de pH sanguíneo, o que é um indicador da boa saúde.

Entretanto, quando é consumido em excesso, o sódio prejudica bastante a saúde do organismo. Ele aumenta os riscos de desenvolvimento de problemas como pressão arterial alta, retenção de água, aumento do volume sanguíneo – o que dá mais trabalho para o coração na hora de mover esse sangue e gera mais pressão às artérias –, doença no coração, acidente vascular cerebral (AVC) e insuficiência cardíaca.

A orientação é que um adulto saudável não ultrapasse o consumo diário de 2,3 mil mg do mineral diariamente. No entanto, para os indivíduos diagnosticados com hipertensão, a ingestão máxima deve ser ainda mais restrita: não pode ser maior que 1,5 mil mg.

Como vimos, a salsicha é lotada de sódio, o que torna bastante difícil não consumir mais sódio do que o adequado e coloca a saúde em risco. Por isso, podemos afirmar que a salsicha faz mal à saúde neste âmbito.

Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia) trouxe um dado alarmante em relação ao consumo do sódio por parte dos brasileiros: 24% da ingestão de sal – que contém 2.000 mg de sódio em cada porção de correspondente a uma colher de chá cheia – feita pela população do nosso país é oriunda de alimentos industrializados, especialmente os embutidos.

A salsicha diminui o seu tempo de vida

Uma pesquisa mostrou como pode ser grave a maneira pela qual a salsicha faz mal à saúde. O estudo, que foi realizado por pesquisadores da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, e divulgado no British Medical Journal (Jornal Médico Britânico, tradução livre), identificou que a cada salsicha que uma pessoa consome, ela perde 15 minutos de vida.

A justificativa para tal fato é que a ingestão exagerada de carnes embutidas, como é o caso da salsicha, aumenta os riscos de desenvolvimento de câncer, principalmente de câncer colorretal.

Segundo reportagem de outubro de 2015 do The Guardian, alimentos como a salsicha, o presunto e o bacon foram apontados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a maior causa do câncer, na mesma categoria que os cigarros.

Os perigos das carnes processadas


A salsicha também é classificada como uma carne processada, uma categoria de alimentos que está associada a diversos problemas de saúde.

De acordo com o Authority Nutrition, a ingestão elevada de carnes processadas está ligada ao aumento do risco de desenvolvimento de uma série de doenças crônicas. A lista inclui: pressão arterial alta, doença no coração, câncer no estômago, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e câncer no intestino.

A salsicha é calórica

Estar acima do peso não é um bom sinal para a saúde e está associado a problemas de saúde como diabetes, pressão arterial alta, doença no coração, derrame, câncer, apneia do sono, osteoartrite (condição que causa dor e rigidez nas articulações), doença hepática gordurosa, doença crônica nos rins e problemas na gravidez, como pressão alta, níveis altos de glicose no sangue e resistência à insulina.

E além de todos os prejuízos já listados que sustentam que a ingestão de salsicha faz mal, ela também é um alimento calórico: existem 301 calorias em cada porção de 100 g do embutido.

Se levarmos em conta que raramente a salsicha é consumida desacompanhada e que costuma aparecer ao lado de pães brancos, queijos, batata palha, maionese, ketchup e outros molhos, não fica difícil concluir que esse número aumenta ainda mais.

Logo, quem come lanches com salsicha regularmente fornece um grande número de calorias ao seu corpo, o que favorece o aumento de peso e o desenvolvimento de doenças associadas aos quilos em excesso.





Fonte: Mundo Boa Forma