Se o Nemo é um peixe-palhaço, que tipo de peixe é a Dory?

Mas saiba que o peixinho não sobrevive em cativeiro

Todo mundo adora os peixinhos que aparecem na animação “Procurando Nemo”, certo? E, dentre eles, um dos personagens mais queridos — além do protagonista, obviamente — é Dory, que inclusive ganhou um filme só dela, “Procurando Dory”! Aliás, na trama original, como você deve se lembrar, ela é a inseparável companheira de Nemo que conquistou a todos com seu “baleiês” e com a memória mais curta do oceano.

Fluente em baleiês e terrivelmente esquecida (Crédito: Reprodução)
Fluente em baleiês e terrivelmente esquecida (Crédito: Reprodução)

Pois, se todo mundo sabe que o Nemo é um peixe-palhaço, cuja espécie é a Amphiprion ocellaris, e a Dory, que tipo de peixe ela é? Você saberia dizer? De acordo com Jake Rossen, do site Mental_Floss, a peixinha pertence à espécie Paracanthurus hepatus, um animal nativo do Pacífico e que também é conhecido pelo curioso nome popular de cirurgião-patela.

Procurando Dory

Segundo Jake, uma curiosidade sobre os peixes como a Dory é que eles nem sempre são azuis, como ela é retratada nas animações. À noite, por exemplo, quando não há luz para refletir a sua pigmentação, esses animais podem parecer esbranquiçados com tons de violeta e, quando são jovens, eles costumam ser amarelos.

Depois de adultos, os cirurgiões-patela podem crescer até os 30 centímetros de comprimento, aproximadamente, e apresentar comportamento agressivo, especialmente contra outros peixes da mesma espécie. Uma característica interessante é que eles possuem um ou mais pares de lâminas afiadas na base das barbatanas das caudas que são usadas em situações de defesa ou ataque, então, esses peixes não são tão simpáticos como a Dory.

Paracanthurus hepatus (Crédito: Reprodução)
Paracanthurus hepatus (Crédito: Reprodução)

Com relação aos hábitos alimentares, os cirurgiões-patela normalmente se alimentam das algas que vivem nos recifes de corais, ajudando a evitar que as plantas se multipliquem demais e afetem o equilíbrio desses ambientes. E se você está pensando em ter um desses peixes no seu aquário, talvez seja interessante saber como eles são capturados antes.

Infelizmente, assim como acontece com muitas espécies tropicais, especialistas não conseguiram criar os cirurgiões-patela em cativeiro, o que significa que eles devem ser capturados na natureza. Para isso, os pescadores costumam usar cianeto, que pode ser espirrado diretamente nos peixes ou na água onde eles se encontram, para fazer com que os animais nadem mais próximo da superfície e possam ser coletados com mais facilidade.

E a gente nem precisa falar que jogar veneno no mar não é o que podemos chamar de boa ideia, não é mesmo? Afinal, além de intoxicar e potencialmente matar os peixes e contaminar as águas, a substância pode danificar os recifes e afetar a flora e fauna. Sendo assim, se você estava pensando em adquirir uma Dory para o seu aquário, saiba que o melhor mesmo é curtir esses bichinhos através das animações mesmo.

Fonte: Com informações do Megacurioso
logomarca do portal meionorte..com