Uso do celular antes de dormir atrapalha o sono. Saiba como.

Estudo diz que uso do aparelho é capaz de atrasar sensação do sono

Quem nunca ficou mal humorado depois de uma noite de sono mal dormida que atire a primeira pedra. O cansaço e a sonolência do dia seguinte de quem passou a noite em claro ou teve o sono interrompido várias vezes são provas de que não dormir afeta diretamente a saúde mental e física do indivíduo. Mas será que você sabe exatamente o que pode estar provocando tudo isso?

É difícil dormir tranquilamente quando se está com níveis de estresse altos ou não consegue adotar uma boa alimentação. Porém, estudos apontam que um outro vilão pode estar na sua mão agora: o celular . O uso do aparelho é capaz de atrasar a sensação do sono e provocar “diminuição do estado de alerta no dia seguinte, além de alteração na secreção hormonal de melatonina”, um dos principais fatores que garantem uma noite tranquila.

Com o avanço tecnológico e a correria cotidiana de quem tem uma vida bastante agitada, muitas pessoas encontram nos smartphones praticidade para fazer quase tudo. Por isso, é tão comum pessoas carregarem o objeto para todos os lugares, inclusive, para cama. No entanto, ter esse hábito antes de dormir pode ser a causa mais importante das suas noites em claro.

Para garantir a regulação do sono , cientistas acreditam que devem ser considerados três fatores: a necessidade biológica de dormir, o horário em que se dorme – devido às associações de claro-escuro no ambiente-, e o fator comportamental - que se refere aos hábitos de cada um antes de dormir.

Pesquisa

Em busca de análisar como esse comportamento influencia o sono, pesquisadoras da Faculdade de Medicina da Universidade de Mogi das Cruzes analisaram como 76 estudantes de medicina se comportam antes de dormir, tendo em vista que a qualidade de sono desse grupo já é alterada devido à rotina intensa de trabalho e estudo.

O objetivo do artigo, publicado na Revista de Medicina, da Universidade de São Paulo (USP), era verificar a alteração na qualidade e duração das horas de sono, e sonolência diurna ao banir o uso do celular perto da hora de dormir.

Os resultados apontaram que “93% dos alunos voluntários mantêm o celular próximo de si, 76% o utilizam mesmo já na cama e 68% dos participantes acordam caso o celular toque, sem contar que 79% participantes utilizam o celular por pelo menos 15 minutos após se deitar”.

Para as autoras, “com a restrição do uso do aparelho celular por uma hora antes de dormir por um período de 15 dias, foi possível notar mudanças estatisticamente significativas no sono dos participantes”.

Mas como o celular inibe a sonolência?

O artigo cita outros estudos científicos que comprovam que a luz emitida pelas telas de celulares - e outros aparelhos, como tablets, televisões e computadores - é capaz de fazer com que o sono não venha.

Sendo assim, trazer o smartphone pra cama antes de dormir diminui a produção de melatonina, hormônio responsável pela regulação hormonal do sono. “A melatonina é liberada durante o anoitecer e induz ao sono. A exposição à luz, no entanto, inibe sua produção.”

Então, se você é desses que não deixa o celular de lado nem por um minuto, que tal repensar seus hábitos e tentar esquecer o aparelho por, pelo menos, alguns minutos antes de se deitar? Afinal, com o sono garantido, a disposição para aguentar suas maratonas de séries, acompanhar todas as novidades nas redes sociais, responder e-mails, fazer compras e conversar com seus amigos também estará renovada.



Fonte: ig
logomarca do portal meionorte..com