Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

"Eu nunca nem entrei no armário", diz Daniela Mercury sobre ser gay

"Não é uma doença ser gay. É maravilhoso ser gay. É uma delícia", disse a cantora

"Eu nunca nem entrei no armário", diz Daniela Mercury sobre ser gay
Daniela Mercury | Reprodução
Compartilhe

"Sair do armário" virou gíria para "assumir a homossexualidade" e poderia servir para resumir o caso da cantora Daniela Mercury, que tornou público seu relacionamento com uma mulher, a jornalista Malu Verçosa, em março. No entanto, em entrevista, a cantora alerta: "Eu nunca nem entrei no armário".

"Não é uma doença ser gay. É maravilhoso ser gay. É uma delícia. É uma opção a mais" - Daniela Mercury, sobre a ideia de "cura gay".

"Eu não sou mulher de armário. Sou mulher de falar tudo", acrescenta. É com esse espírito que a cantora deve participar da 17ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, mais conhecida como Parada Gay, que acontece na capital paulista no próximo domingo (2). Coincidência ou não, o tema da parada deste ano é "Para o armário, nunca mais!".

Em entrevista concedida no Dia Internacional de Combate à Homofobia (17 de maio), Daniela Mercury falou sobre casamento entre pessoas do mesmo sexo, cura gay e homofobia. A cantora também afirmou que acredita que um mal estar com a própria sexualidade é o que provoca o preconceito, e defendeu a prisão para os homofóbicos.

No início de maio, a cantora foi homenageada pela APOGLBT (Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo) no 13º Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade, na categoria Ação Cultural.

Acompanhada da mulher, Daniela criticou a postura do deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), pastor evangélico e atual presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, defensor de ideias como a "cura gay".

Como crítica àqueles que agem contra os direitos conquistados pelos homossexuais, o último trio elétrico a desfilar na Parada Gay vai ter protestos contra Feliciano, o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) e o pastor evangélico Silas Malafaia, também conhecidos por declarações homofóbicas.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar