Emicida critica música sertaneja:“Brasil todo é obrigado a escutar"

Ele deu exemplos da diversidade musical do Brasil

rapper Emicida afirmou em entrevista não gostar do monopólio do sertanejo no cenário musical brasileiro. Ele deu exemplos da diversidade musical do Brasil de antes, e comparou com os dias de hoje, onde há certo domínio do sertanejo.

“Acho contraditório que a gente tenha trilhado um caminho com Jair Rodrigues, Elis, Tom, Pixinguinha, Pena Branca e Xavantinho, Racionais, Caetano, Gil, Tom Zé… e, de repente, chega um momento em que o Brasil inteiro é obrigado a escutar e aplaudir um único gênero.”

Emicida critica música sertaneja:“Brasil todo é obrigado a escutar"
Emicida critica música sertaneja:“Brasil todo é obrigado a escutar"


Ele também deu sua opinião sobre ao novo clipe de Malu Magalhães, que foi acusado de racismo por conter negros com poucas peças de roupa:

“Acho que há uma mania, às vezes, de salvar quem não está pedindo socorro. Você se coloca numa posição de dizer: ‘Esses bailarinos são ignorantes, não gostam de ser pretos, são cegos para sua autoestima’. Uma terceira pessoa está dizendo para eles que eles estão sendo usados.”

Ele também criticou a polêmica que chamam de “apropriação cultural: “Como criador, eu me aproprio de várias culturas. Não quero que ninguém venha me dizer que eu não tenho direito de usar um nome japonês na minha coleção de moda.”

Fonte: Com informações do TV em foco