Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Lima Duarte critica Regina Duarte: 'se encantou pelo Lobo Mau'

Em entrevista, ele relembrou as amizades que fez ao longo da carreira e aproveitou para alfinetar a ex-colega de profissão Regina Duarte

Compartilhe
Google Whatsapp
Siga-nos

Lima Duarte completa 90 anos hoje e segue ativo no trabalho, assim como com seus pensamentos. Ele relembrou as amizades que fez ao longo da carreira, disse que nunca pensou em parar, além de alfinetar a ex-colega de profissão Regina Duarte. As informações são do site da UOL. "Me aposentar me daria mais tempo para pensar, mas há tanto a se fazer ainda", disse o ator em entrevista.

Com uma respeitável lista de personagens marcantes, como o Sinhozinho Malta de "Roque Santeiro" (1985) e Sassá Mutema de "O Salvador da Pátria" (1989), ele guarda com carinho nomes de amigos que fez em seus trabalhos. "São tantos. Minha companheira Fernanda [Montenegro], a querida Laura [Cardoso], A Bianca [Bin] e o [Sergio] Guizé", disse.

Reprodução - InternetJá sobre Regina Duarte, atual secretária de Cultura do governo, ele não poupou críticas: "Convivemos um bom tempo, mas nunca consegui realmente penetrar na alma dela. Quando a vi seduzida pelo atual presidente e vi aquele sorrisinho dela que virou patrimônio nacional, pensei: 'A Chapeuzinho Vermelho se encantou pelo Lobo Mau. A Regina parece a Chapeuzinho. Tomara que não venha um filho disso daí, já pensou que tragédia?".

Reprodução - Internet

O ator também comentou como tem lidado com o período de quarentena que o país passa, afastado das pessoas. "Estou acostumado. "Estou acostumado. Pela forma como nasci e fui criado, minha grande alegria é o pensamento. Eu gosto muito de pensar e tudo o que eu vivo e vejo no mundo são subsídios para o meu pensar", contou.

"Gosto de ficar com minhas plantas, meus livros. São eles que me fazem companhia. Às vezes, olho e vejo a morte na esquina. A morte quer me pegar, mas eu fujo dela. Ela fica me esperando: 'Cadê aquele fdp?'. Ninguém vai viver para sempre. O que me interessa é deixar meus ensinamentos, é saber que, enquanto estive aqui, me diverti", completa.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp
Siga-nos

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar