Marina Ruy Barbosa levou R$ 800 mil por campanha de papel higiênico

Atriz usou suas redes sociais para pedir desculpas aos internautas

Marina Ruy Barbosa se envolveu em uma grande polêmica após ser escolhida para ser garota-propaganda de uma marca que trouxe o primeiro papel higiênico preto ao Brasil.

A campanha publicitária mostra a mulher de Xandinho Negrão 'vestida' apenas com o papel higiênico, e foi fotografada por Bob Wolfenson, nome consagrado na moda. O jornal Agora São Paulo revelou que a atriz ganhou R$ 800 mil para estrelar a campanha.

Alguns internautas criticaram o uso da hashtag "BlackisBeautiful" e acusaram a marca de papel higiênico de se apropriar de uma expressão usada por miliantes negros durante a luta dos direitos civis nos anos 60.

A crítica partiu do escritor Anderson França, o Dinho, que publicou um texto sobre a campanha em seu perfil no Facebook. "Numa atitude racista e irresponsável, consciente e deliberada, (a Santher) decidiu que essa expressão deve remeter a papel higiênico, cuja função qualquer pessoa conhece", escreveu. Ele ainda classificou o episódio como "um dos mais graves ataques racistas praticados por uma empresa brasileira".

Marina Ruy Barbosa usou suas redes sociais para pedir desculpas aos internautas que se sentiram ofendidos e consideraram a campanha de lançamento do produto racista.

A atriz se disse triste com a repercussão negativa e certa de que a marca nunca teve a intenção de "seguir por este caminho polêmico e desrespeitar qualquer tipo de pessoa".

"Lamento profundamente que algumas pessoas tenham interpretado o trabalho publicitário da Santher (fabricante da Personal) de forma diferente do que foi idealizado", escreveu.

"Independente de tudo isso, eu lamento muito, de verdade, e peço desculpas às pessoas que sentiram afetadas", acrescentou.



Marina Ruy Barbosa estrela campanha polêmica
Marina Ruy Barbosa estrela campanha polêmica


Fonte: TV
logomarca do portal meionorte..com